siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!

Arquivo de 'Entrevistas'



21.09.16
VOGUE | Margot Robbie pertenceu a um grupo de meninas surfistas – e mais confissões da australiana

Confira abaixo a entrevista concedida pela Margot para a Vogue durante o evento da Calvin Klein na semana passada.

Margot Robbie tem uma maneira de pegar você desprevenido. Quando a atriz apareceu em cena no filme O Lobo de Wall Street em 2013, todos tiveram que conciliar o fato de que essa “loira de bronze” com um aclamado sotaque do Brooklyn era, na verdade, Australiana. Desde então a loira de 26 anos tornou-se conhecida por quebrar o molde de estrela de cinema. Por um lado ela trabalhou muito em dois filmes de peso (A Lenda de Tarzan e Esquadrão Suicida) já, fora das câmeras trabalha na cogestão de uma empresa de produção com um conjunto de projetos futuros, incluindo Terminal, um thriller, e um filme biográfico de Tonya Harding. (Robbie tem a reputação de destemida e faz algumas cenas que deveriam ser executadas por sua dublê, ela tem experiência em patins depois de ter jogado em uma equipe de hóquei no gelo amador há alguns anos atrás, em Nova York.) Ela também atravessa os mundos da extravagância e requinte à mundos desonestos, parecendo tão confortável exalando o glamour de Grace Kelly no tapete vermelho enquanto cobre seus colegas de elenco com sua pistola de tatuagem.

Com o seu último trabalho sendo o rosto de campanha de fragrância Deep Euphoria da Calvin Klein, ela também traz várias camadas de uma mulher que tanto encarna sensualidade quanto um poder espirituoso livre. Aqui ela nos conta sobre os aromas que acompanham-na nos sets de gravações, seus primeiros dias como parte de uma tribo de sufistas “all-girl” e seus segredos de beleza, desde seus treinos em Los Angeles à spa bucólico em Londres.

Você está ligando de Londres. Esse ainda é o lugar que você chama de casa?
Sim! Eu estou nas gravações de um filme no momento, então é bom ter um lugar próximo e relaxar um minuto. É sobre A.A. Milne, o autor das séries Ursinho Pooh e eu interpreto sua esposa, Daphne. É um filme realmente maravilhoso. Eu estou me divertindo muito.

Calvin Klein tem uma longa história com campanhas de época e fragrâncias. Quais foram as suas primeiras memórias da marca?
Minhas primeiras memórias são as fotos de Kate Moss e Mark Wahlberg. Eu achava isso tão legal. Calvin Klein meio que fez os anos 90; eles têm um jeito especial de deixar as coisas clássicas parecerem modernas. Muitas mulheres da minha família usavam os perfumes da Calvin Klein, então várias fragrâncias da marca lembram minha infância.

Quais aromas te levam de volta à sua infância na Austrália? Existiram perfumes emblemáticos que você usava ou era mais o cheiro de praia e protetor solar de eucalipto?
O cheiro da praia e o cheiro de tempestade. Todos esses tipos de coisa, definitivamente, me fazem sentir em casa. Quando estava crescendo na minha casa, nós tínhamos arbustos de lavanda e jasmim, eu posso sentir um pouco de jasmim e rosas neste perfume, então, sim, esses são os aromas que me fazem voltar à infância. Quando eu era uma garotinha, eu me lembro de todas as vezes que abraçava a minha tia ou minha mãe, elas tinham um certo aroma. Eu me lembro de pensar “mal posso esperar para ser grande o suficiente e usar perfume e ter meu próprio cheiro.”

Como o perfume se incorpora no seu dia-a-dia? Dentro ou fora das câmeras? Eu sei que alguns atores incorporam perfumes em seus personagens.
Sim, eu faço isso também! Eu sempre escolho um perfume para cada personagem que eu interpreto. Eu tento mantê-lo especificamente para aquele personagem e, só uso quando entro no set. Eu acho isso muito útil. Para o personagem que eu estou fazendo agora (Daphne Milne) que viveu na década de 1920, eu encontrei esse belo perfume, é mais obscuro e não é de uma marca muito conhecida, mas o frasco de perfume parece que é da época. Eu perguntei sobre o cheiro, e o cara falou “Cheira como Greta Garbo, enquanto andava por um hotel nos anos 20.” E eu tava tipo “era exatamente o que eu estava procurando.” Para Tarzan, quando interpretei Jane, eu usei só óleo de rosas, só porque isso parecia delicado e bem de acordo com o personagem. E quando eu interpretei Harley (Quinn, de Esquadrão Suicida) eu escolhi algo brega e adocicado, que fosse um pouco excessivo e a cara dela. Eu comprei em um shopping na América. No filme que eu fiz antes desse, Terminal, eu estava interpretando uma femme fatale, aquele tipo de mulher peculiar, complicada e perigosa, e como fizemos as imagens para campanha, eu tava tipo “nossa, esse perfume é perfeito para isso.” Então esse acabou sendo meu aroma para o personagem.

Ouvi dizer que você gostava muito de água quando era pequena. Você tinha uma praia favorita ou um local para surfar?
Sim, eu tinha. Eu costumava viver em Currumbin Valley, que é nas montanhas, mas se você ir diretamente para a costa você chega em um lugar para surfar chamado The Alley. É protegido, então as ondas são sempre calmas e agradáveis. Costumávamos ir todo fim de semana parar surfar. Foi quando “Blue Crush” lançou e o filme era nossa maior inspiração naqueles anos. Nós estávamos em The Alley todo fim de semana, querendo ser essas garotas surfistas incríveis. Era uma gangue só de garotas.

Isso te ajudou a estabelecer o seu destemor com acrobacias?
Provavelmente. Onde eu cresci na Austrália, é super ao ar livre. Você está sempre pulando de penhascos e dirigindo motos, fazendo coisas desse tipo, então o trabalho com acrobacias é extremamente divertido para mim.

Como uma Londrina adotada, quais são os lugares saudáveis que você frequenta na cidade?
Apesar do fato de que eu estou aqui há mais de dois anos, eu não sou assim com esse tipo de coisa. Eu normalmente peço para as minhas amigas; Cara [Delevingne] e Suki [Waterhouse] são minhas pequenas confidentes! Eu recentemente, saí para Soho Farmhouse, que é cerca de uma hora e meia fora de Londres, e é, literalmente, o lugar mais relaxante da Terra. Eles têm o Cowshed Spa lá; foi fantástico. E há esta marca, 111Skin. Eu comecei recentemente um tratamento facial lá, e seus produtos são incríveis. Meu maquiador me deixou animada com eles.

Londres, com a sua assinatura de chuva sombria, já te trasmitiu alguma lição de beleza?
Tem sido realmente muito bom para a minha pele estar vivendo aqui. O sol é tão forte na Austrália, especialmente que não tem a camada de ozônio que você tem em outros lugares, e tenho notado que minha pele mudou totalmente. Nessa idade -Eu tenho 26 agora- O dano solar está se mostrando evidente, e nessa idade você começa a se preocupar sobre a obtenção de rugas e manchas solares, eu estou muito grata de estar do outro lado do mundo.

L.A. está em seu futuro, sim? Sobre o que você está mais ansiosa com isso?
Sim, vamos fazer a mudança no final do ano. Vejo Andie Hecker, ela é uma incrível instrutora. Eu amo ser capaz de vê-la em L.A., embora em Londres há um outro incrível instrutor, David Higgins. Ele é australiano, também; ele faz Pilates, e treinamento pessoal. Essa é a minha forma de exercício. Em L.A. é tão fácil comer saudável e ser saudável, e há todos esses métodos bizarros de olhar o seu melhor, que às vezes é útil quando você está tentando entrar em forma; Estou ansiosa por L.A.- É é um vôo muito mais curto para chegar em casa! [Austrália]

E sobre a sua habilidade com tatuagem? O seu hobby ainda continua forte, e você deixou sua marca alguém interessante ultimamente?
Eu não sei sobre habilidades! É mais uma espécie de party trick do que uma habilidade real. Meus suprimentos de tatuagem acabaram por um tempo, então eu parei um pouco, o que era provavelmente a coisa mais segura, porque eu acho que nós estávamos ficando um pouco levados! As pessoas se esquecem de que isso vai ficar preso para sempre nelas, e eles realmente provam ser muito abertos à ideia, o que é um pouco engraçado. Eu acabei de repor meu material, por isso estou pronta para deixar minha marca em algumas novas vítimas, eu acho [risos]. Mas eu tento explicar às pessoas que eu não sou realmente uma tatuadora, por isso, pense muito antes!

Fonte | Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Entrevistas
20.09.16
Margot Robbie conversa com a ELLE sobre sua campanha com a Calvin Klein

Margot conversou com a revista ELLE durante um evento da Calvin Klein para o lançamento do novo perfume da marca, Deep Euphoria. Confira a entrevista:

“Isso é tão estranho,” diz Margot Robbie. Ela está no Rosewood Hotel em Londres assistindo – tentando assistir, na verdade – seu próprio comercial. É para a nova fragrância da Calvin Klein, Deep Euphoria, e é um pouco engraçado: uma dessas tramas de “Isso é um sonho?” com delírio roxo neon e rapazes sem camisa. (Não estamos reclamando). “É legal, não é?” Robbie ri. “Mas ver a si mesma na TV… Nunca deixa de ser estranho.”

O que é engraçado: Se você não é Margot Robbie, assistir a ela na tela é uma coisa muito comum. De ‘O Lobo da Wall Street’ para ‘A Lenda de Tarzan’ e ‘Esquadrão Suicida’, a atriz australiana já faz parte da lista A de Hollywood. Ela também se tornou uma queridinha da moda, usando Saint Laurent no Oscar e Gucci em sua última turnê de divulgação.

Mas o que nós realmente sabemos sobre Margot Robbie? Nós não tínhamos muita certeza, então fizemos algumas perguntas – estranhas, na verdade – para conseguir mais informações.

Você é conhecida por se envolver com seus projetos. O quão envolvida você estava com o anúncio do Deep Euphoria? Você mesma escalou os rapazes bonitos?
Não, mas eu eu fiquei muito feliz com a escolha da Calvin Klein. Eu estava conversando com eles em um momento, e eu podia dizer que estava começando a flertar. Eu disse para um dos meninos, “O que você vai fazer depois disso?” e ele diz, “Bom, eu tenho que voltar para a escola.” E eu fiquei tipo, “Oh, legal! Faculdade?” “Não, não é faculdade. Ensino médio.” Eu pensei, “Oh. Meu. Deus. Você tem 17 anos. Eu sou oficialmente uma papa anjo! Eu sou a mulher mais velha!” Isso nunca aconteceu comigo antes.

Ah, seu primeiro momento Mrs. Robinson.
Muitos dos meus amigos são mais velhos, e as pessoas com quem trabalho são mais velhas. Acho que eu me acostumei a ouvir as pessoas dizerem, “Oh, você é tão jovem,” mesmo quando eu nunca realmente concordei com isso. Agora eu entendo a perspectiva deles. E isso é bizarro, ter alguém no seu ambiente de trabalho que é muito mais jovem do que você.

Deve ser estranho estar em um set de filmagem com caras sem camisa por todo o lugar. Como você mantém o foco?
Oh, isso nunca para de ser estranho. Eu ri feito louca no set de Deep Euphoria, especialmente quando tem uma cena onde eu supostamente tenho que parecer sedutora ou me jogar no sofá de modo sensual ou algo assim. Sem querer, o tecido ficava preso no sofá, ou eu me inclinava um pouco demais e meus seios apareciam. Então a equipe gritava, “Corta! Seu peito está pra fora!” e o set inteiro ouvia. Oops. Desculpa.

Essa campanha precisa de um vídeo de erros de gravação.
Tem essa parte onde eu tenho que afagar o frasco no meu maxilar. Eu estava tipo, “Gente, eu me sinto ridícula…” E então nós só tínhamos a amostra do frasco do perfume. Em filmagens, os frascos geralmente estão com água dentro, mas essa era a única que tínhamos, e estava com o perfume de verdade. Então eu continuava a espirrar o perfume em mim tomada após tomada. Eu estou tomando banho com esse perfume e fico tipo, “Desculpa, pessoal!” A coisa toda é muito engraçada. Quando meus amigos verem isso, eu vou ser muito zoada. Mas o resultado final é muito legal. Estou feliz com ele.

Eu ouvi dizer que você usa perfumes para te ajudar a entrar nos personagens nos filmes…
Eu nunca conheci outro ator que faz isso, mas para mim, ajuda muito! Eu me lembro de momentos específicos e pessoas em minha vida com muito mais facilidade se eu cheirar algo que me traz de volta para eles. Então o aroma se tornou algo para diferenciar os personagens.

Você já usou o Deep Euphoria para algo?
Eu usei para o meu próximo suspense, Terminal. Coincidiu que eu fiz o comercial antes do filme. Eu tinha o perfume comigo, e pensei, “Essa personagem precisa ser um pouco mulher fatal e um pouco perigosa.” Mas nós também estamos ambientando o filme em um mundo distópico. Não há tecnologia ainda. Há muito neon. E esse perfume é muito clássico. Tem essa nostalgia mas é muito fresco e legal. Não é muito pesado. Então foi perfeito!

A Harley Quinn tem um aroma?
Oh, sim. Eu comprei pra ela um perfume em uma farmácia de shopping. É de uma marca barata super brega. O frasco é uma caveira. É perfeito. E então eu comprei um perfume da Playboy, também, então ela tem um para quando é a Harleen e um para quando é a Harley. Não há nada sutil sobre eles.

Você disse que Debbie Harry foi sua inspiração visual para o estilo da Harley Quinn. Agora que você está indo para a sequência, vocês duas entraram em contato?
Eu não precisei nem encontrar ela, porque a coisa mais louca aconteceu. Eu disse em entrevistas, “Nós achamos essas fotos iradas da Debbie Harry que eu pensei que fossem perfeitas para a Harley Quinn.” Bom, meus agentes me ligaram e disseram, “Uh, Debbie Harry entrou em contato. Ela ouviu falar que o visual foi baseado no dela, e ela autografou uma foto para você, se você quiser.” Se eu quiser? Está brincando comigo? Chegou na minha casa há dois dias. É a coisa mais legal que eu tenho.

Mas você ainda não a conheceu?
Não, eu não sei o que diria. Eu ficaria muito fascinada.

Sua estilista para o tapete vermelho é Kate Young, que também trabalha com Selena Gomez e Michelle Williams. Como você a escolheu?
Eu gostei que com Kate, todo mundo parece com eles mesmos, e eles também parecem com a sua idade. Eu tenho 26 anos. Eu tenho o resto da minha vida para usar algo seguro. Ela é muito sutil com seu estilo, mas é adaptado para a pessoa que ela está vestindo.

Vocês duas possuem uma estratégia para turnês de divulgação?
Ela fica tipo, “Essas roupas precisam parecer que são suas. Você achou essas roupas na sua casa, bagunçou o cabelo, e aconteceu de ir para o tapete vermelho. É assim que você precisa aparecer.” As pessoas não querem olhar para você e pensar, “Oh, deve ter demorado tanto para ela ficar pronta!” Não é tão legal imaginar. Eles querem imaginar sua vida sendo – bom, o oposto do que é em algumas vezes, onde se vestir é algo disciplinado, sabe? As pessoas não querem saber disso.

Você já pediu por alguma peça do arsenal da Selena ou da Michelle?
Quando eu vi Michelle Williams e Selena Gomez usando as botas da Louis Vuitton no Met Gala, eu perguntei para a Kate se eu poderia tê-las, também! E eu usei na Comic Con.

Você roubou as botas da Selena?
Não! Eu tenho pé grande. Você sabe o quão vergonhoso é quando você pede por um sapato e eles olham para você tipo, “Não, nós não fazemos esses saltos para o Pé Grande, desculpe.” E eu tenho 1,68. Não sou tão alta.

Você já tentou namoro online?
Eu não acho que ficaria confortável com isso porque a tecnologia ainda me assusta um pouco. Eu nem sei como mandar uma Mensagem Direta para alguém no Instagram. Eu ainda escrevo cartas. Eu mando notas de agradecimento, não e-mails, mesmo que eu esteja ficando na casa de um amigo ou algo assim. Eu sou muito antiga. Mas o Tinder me fascina. Raya me fascina. Eu faço meus amigos colocarem em seus perfis e fico tipo, “Me mostre tudo.”

Ouvi dizer que você é fã de Harry Potter.
Eu vou falar de Harry Potter com você o dia todo.

Feito. Você é de qual casa?
Eu sou de Gryffindor, obviamente… Mas eu falsifiquei totalmente as minhas perguntas no quiz Pottermore. Eu poderia dizer completamente quais respostas me levariam até Gryffindor, e então essas foram as minhas respostas. Eu acho que eu estaria em Gryffindor de qualquer jeito, mas eu definitivamente manipulei o quiz ao meu favor. No entanto, eu não ficaria chateada com Ravenclaw.

Qual o seu Patronus?
Boa pergunta! Eu pensei sobre isso no passado. Meu espírito animal é um macaco, porque eu tenho braços muito longos e eu gosto de subir nas coisas. Eu me sinto mais confortável em cima de um árvore, ou embaixo d’água. É quando eu fico mais tranquila. Mas eu não quero que meu Patronus seja um macaco! Mesmo que realmente seja isso.

Fonte | Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Calvin Klein
26.08.16
VÍDEOS: Press Junket de Esquadrão Suicida em NY

Durante a divulgação de ‘Esquadrão Suicida’, Margot com o elenco do filme concedem inúmeras entrevistas para sites, canais e afins. Confiram abaixo as entrevistas da press junket de NY:


Especial de Esquadrão Suicida para Dish Nation


Especial de Esquadrão Suicida para Movie Tickets


Para o canal HBO


Para o canal HBO


Com Karen e Cara para Nova FM


Para Celebrity Track


Para SensaCine


Para De Película


Para Harkins Theatres

postado por Solania Ferreira na categoria Entrevistas
08.08.16
VÍDEOS: Press Junket de Esquadrão Suicida em Londres

Durante a divulgação de ‘Esquadrão Suicida’, Margot com o elenco do filme concedem inúmeras entrevistas para sites, canais e afins. Confiram abaixo as entrevistas da press junket de Londres:


Entrevista para o canal Chewing Sand


Com Jay Hernandez para o canal HeyU Guys


Com Jay Hernandez para Joe.ie


Com Cara Delevinge para Fanpage.it


Com Jay para ScreenWeek TV


Com Jay para Digital Spy


Com Jay para eCartelera


Com Jay para ODE


Com Cara para Movie Mania


Com Will Smith para a BBC Rádio de Londres


Com Will, Cara e Joel para The LAD Bible

postado por Solania Ferreira na categoria Entrevistas
08.08.16
Margot Robbie revela a receita secreta para a voz dela em ‘Esquadrão Suicida’

Recentemente, Margot concedeu uma entrevista para a USA Today onde fala um pouco do processo que ela fez para compor a sua atual versão cinematográfica da Harley Quinn. Confira:

O martelo de Harley Quinn é tão icônico quanto sua voz.

A convidativa, ainda que louca, voz esganiçada da “bad girl” de Gotham City, Harley Quinn, é tão icônica quanto sua marreta de grandes dimensões, touca colorida e arma “amor / ódio”.

O que significa que era importante para a atriz de Esquadrão Suicida, Margot Robbie, aperfeiçoar como a Harley deveria soar.

Primeiro, ela começou com o material de origem: Antes de Harley aparecer em revistas em quadrinhos, ela fez sua estréia como a namorada do Coringa em 1992 em Batman: The Animated Series.

“Ela tem uma voz muito estridente, o que para o material leve, louco, funciona muito bem” no Esquadrão Suicida, diz Robbie. “Mas quando é uma cena emocional bastante crua, você perde a gravidade quando você está falando com um tom tão alto.”

A atriz australiana queria dar um sotaque do Brooklyn à voz de Harley. Então, o principal ponto de referência de Robbie se tornou a atriz Lorraine Bracco, que interpretou Karen Hill em Os Bons Companheiros. Robbie queria aquela influência nova-iorquina e foi atraída para a voz de Bracco porque parecia visivelmente diferente da personagem da atriz australiana em O Lobo de Wall Street. Ela regularmente ouvia cenas de Bracco em seu iPod antes de se dirigir ao set de filmagem.

Bracco é “insana em algumas cenas, completamente louca, mas nunca faz uma voz estridente e louca de boneca”, diz Robbie. “Sua voz vem de um lugar primordial real e profundo.

“Meu espectro vai de Lorraine Bracco à Harley animada, e é apenas uma montanha russa entre essas duas ao longo do filme.”

postado por Solania Ferreira na categoria Entrevistas
03.08.16
FOTOS & VÍDEOS: MARGOT NA PREMIERE DE SUICIDE SQUAD EM NY

Neste último dia um (01), Margot com o elenco e produção de Esquadrão Suicida estiveram na premiere do filme em Nova Iorque. O evento aconteceu pouco antes de seu lançamento mundial. Robbie estava lindissíma com um modelo da marca ‘Alexander McQueen’. Ela posou para fotos ao lado de Will Smith, Jared Letto, Viola Davis e mais alguns colegas de cast. Após o black carpet, Margot foi para a exibição do filme com convidados e críticos e encerrou a noite em uma after party de Suicide Squad. Confira abaixo fotos e vídeos:

FOTOS:

Black Carpet:

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS | APPEARANCES & EVENTS > 2016 > AGOSTO 01 – PREMIERE DE ‘ESQUADRÃO SUICIDA’ EM NOVA YORK

After Party:

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS | APPEARANCES & EVENTS > 2016 > AGOSTO 1 – PREMIERE DE ‘ESQUADRÃO SUICIDA’ EM NOVA YORK [AFTER PARTY]

VÍDEOS:


Entrevista no Black Carpet para ‘Extra’


Entrevista no Black Carpet para ‘Acess Hollywood’


No snapchat de Suicide Squad

postado por Solania Ferreira na categoria Entrevistas
01.08.16
FOTOS & VÍDEOS: MARGOT NO GOOD MORNING AMERICA

Com a estréia de Esquadrão Suicida nesta semana nos EUA, Margot e o elenco participaram do programa matinal ‘Good Morning America‘, em Nova York. Confira as fotos e vídeos:

» No ‘Good Morning America’

» Vídeos

postado por Mari na categoria Candids
30.07.16
FOTOS & VÍDEOS – MARGOT NO THE TONIGHT SHOW STARRING JIMMY FALLON

Na noite de ontem, 29, Margot participou do programa Tonight Show Starring Jimmy Fallon, para promover o filme Esquadrão Suicida. Confira abaixo os vídeos da entrevista e fotos da Margot no programa.

Margot diz que aprendeu a segurar a respiração em baixo d’água por 5 minutos para Suicide Squad, e que é muito competitiva e ficava competindo com a dublê quem conseguia segurar a respiração por mais tempo.

Nesta parte da entrevista, Margot fala sobre tatuar seus amigos. Ela disse que fez um “dedomoji” no dedão da Cara Delevingne, mas como é na sola do pé, a tatuagem sai rápido e elas ficam refazendo! E também disse que já fez um total de 50 tatuagens até agora e que ela fica cada vez pior.

Fallon tem o costume de fazer algumas brincadeiras em seu programa, e com a Margot não poderia ser diferente. Desta vez eles brincaram de Jinx Challenge. Cada um tinha que falar a mesma palavra de uma categoria que estava escrita no cartão e eles falaram 3 palavras iguais no total.

postado por Mari na categoria Entrevistas
25.07.16
PROGRAMA: MARGOT COMPARECE AO DESPIERTA AMERICA

Margot Robbie compareceu hoje ao programa ‘Despierta America’ junto a David Ayer, Will Smith, Karen Fukuhara e Jay Hernandez para promover o filme Esquadrão Suicida.

Confiram as fotos em nossa galeria:

INICIO > APARIÇÕES E EVENTOS | APPEARANCES & EVENTS > 2016 > JULHO 25 – NO PROGRAMA ‘DESPIERTA AMERICA’

E confiram o Pericospe deles no programa:

postado por Solania Ferreira na categoria Entrevistas
06.07.16
ENTREVISTA TRADUZIDA: MARGOT ROBBIE PARA VANITY FAIR

MARAVILHOSA! Margot está estampando mais uma capa de revista e dessa vez é da edição de agosto da Vanity Fair. O ensaio foi realizado no Grand Cul de Sac lagoon em St. Barth’s pelo fotógrafo Patrick Demarchelier. A revista divulgou além da capa, o ensaio, entrevista, vídeo dos bastidores e outro vídeo da Margot definindo 50 gírias australianas em menos de 4 minutos. Vocês podem conferir tudo isso neste post. Confira abaixo:

Bem-vindo ao Verão de Margot Robbie

Lançada pela depravação do brilho de O Lobo de Wall Street, Margot Robbie é um nome de peso neste verão, estrelando em dois grandes filmes: Esquadrão Suicida e The Legend of Tarzan. As conversações da atriz australiana sobre sua rápida ascensão, sua primeira cena de sexo, e á América achava que ela não existia.

América está tão longe, temos que ir para a Austrália para encontrar uma garota. No caso de você se perdeu, o nome dela é Margot Robbie. Ela tem 26 anos é bonita, não dessa forma sobrenatural, ou das passarelas, mas em uma menor escala, um humor azul, uma dança lenta. Ela é loira, mas nas raízes seu cabelo é escuro. Ela é alta, mas apenas com a ajuda de certos sapatos. Ela pode ser sexy e todo o conjunto mesmo enquanto nu, mas apenas em caráter, ela é verdadeira. Como eu disse, ela é da Austrália. Para entendê-la, você deve pensar sobre o que isso significa.

Austrália é a América há 50 anos, ensolarado e lento, um retrocesso, razão pela qual você vai lá para ver as pessoas da reminiscência. Eles ainda vivem e morrem com o enredo que gira de telenovelas em Melbourne e Perth, ainda habitam em um mercado de massa única em Adelaide e Sydney. Na parte da manhã, eles assistem da Austrália Today show. Em outras palavras, é apenas como a América, apenas diferentes. Quando todo mundo aqui está acordado, todo mundo lá está dormindo, o que o torna uma ponte perfeita para estudar os nossos costumes, hábitos diários. Um ator australiano ambicioso vê Hollywood da forma como os marcianos vêem a Terra no início de A Guerra dos Mundos. Foi Robbie. Audição e estudar de longe como ela, que esperou o momento perfeito, a onda perfeita, que ela parou na praia na frente de sua cidade na costa australiana todo o caminho até os outdoors ao longo Sunset Boulevard, onde seu rosto é exposto em tamanho avassalador em um esforço para vender não um, mas dois blockbusters neste verão: The Legend of Tarzan , uma nova visão sobre o clássico, co-estrelado por Alexander Skarsgård, e Esquadrão suicida , um Batman desacorsoado e co-estrelado por Jared Leto e Will Smith, em que Robbie joga sidekick do Joker, fã Harley Quinn favorito.

Eu conheci Margot no restaurante no hotel Mark, no Upper East Side de Manhattan. É um local de celebridades. Você pode senti-los através das sombras, em suas cabines, acompanhando-o com olhos desconfiados. Ela entrou pela sala como uma caloura para o segundo semestre, finalmente, à vontade com o sistema. Ela parou em mesas ao longo do caminho para conversar com amigos. Não me lembro o que ela estava usando, mas foi simples, com o cabelo penteado em torno daqueles olhos dolorosamente azuis. Sentamos no canto. Ela olhou para mim e sorriu.

Robbie cresceu em Gold Coast, uma cidade na costa do Pacífico da Austrália, 500 milhas ao norte de Sydney. Em um filme antigo, você pode ter visto um sinal de cruzamento demonstrando o quão isolado era, quão longe das capitais conhecidos. Quatro mil milhas para Tóquio. Dez mil milhas para Londres. Sete mil milhas para Los Angeles. Margot vivia com a mãe e três irmãos, seus pais que se divorciaram quando ela era uma criança, viviam em uma casa nas colinas, a parte adormecida de uma cidade, na parte inferior do mundo. Sua mãe é uma fisioterapeuta. Seu pai faz algum tipo de agricultura e algumas outras coisas. De vez em quando, ela ficava com primos que viviam no interior do interior, onde havia realmente cangurus e uma canção que dizia “realmente o monstro vai comer o seu bebé”. Quando ela fala sobre isso, você vê o país árido, o horizonte de todos os lados, céu azul, campos amarelos. “Mas eu não gosto de falar sobre isso”, diz ela, porque apenas “incentiva estereótipos. As pessoas sempre querem saber, ‘Você teve cangurus fora da sua janela do quarto? Eu sou como, “Sim, mas nenhum dos meus outros amigos fez.’ Ou “Será que você tem cobras correndo por aí?’ E, novamente, “Sim, em nossa casa, mas isso não é uma coisa australiana.'”

Ela ficou presa em torno de Melbourne durante semanas, pousando nos apartamentos de amigos, tirando o momento antes que ela tinha ido embora, sendo bem-vinda, ela poderia antecipar-se como uma mudança no tempo. “Dormindo no sofá, que é uma arte.” De vez em quando, ela teria uma pequena parte no horário nobre. Seu agente queria fazer uma audição para Neighbours, a telenovela australiana. A beleza de Robbie e velocidade de subida mascaravam a sua ambição, a agitação por parte é esclarecida atuando. Ela foi a caçada, nome do Neighbours empresa de produção e começou a bombardeá-la. “Eu liguei para eles todos os dias, e, finalmente, um dia, eles me passaram a Jan Russ, uma produtora de Neighbours”, disse Robbie. “Eu tenho ela no telefone quando eu estava prestes a sair Melbourne. E eu era como, ‘Oh, eu estou aqui filmando um papel fui convidado. -Posso encontrá-lo?’ Entrei e ela estava tipo, ‘Quantos anos você tem?” ‘Dezessete.’ E ela diz: “Nós estamos buscando uma menina de 17 anos de idade no momento.'”

Algumas semanas mais tarde, Robbie fez sua estréia como Donna Freedman, uma espécie de tiete que nunca se cala. “Eu estava sentada na cadeira de maquiagem e tinha 60 páginas para memorizar, porque meu personagem fala tanto”, ela me disse. “Ela era a única que iria entrar e ser um turbilhão, blá blá blá, la, la, la, falar, falar, falar, e correr para fora novamente. Nós fizemos um episódio por dia. Em termos de cinema, isso é insano. Ele estava treinando algo incrível.”

Algumas semanas depois, ela era famosa. Na Austrália.

Eu perguntei se as pessoas em casa estavam orgulhosos de seu sucesso.

Ela pensou por um momento, depois disse: “Há uma coisa na Austrália chamada síndrome de alto-papoularismo. Você já ouviu falar? É uma coisa bastante prevalente mesmo, ensinam na escola. As papoulas são flores altas, mas elas não crescem mais alto do que o resto das flores, por isso há uma mentalidade na Austrália, onde as pessoas são realmente felizes por você fazer bem; você simplesmente não pode fazer melhor do que todos os outros ou eles vão cortá-lo para baixo e diminuí-lo”.

Neighbours, Home and Away – a maior novela australiana serve como um sistema para a indústria de cinema americano. De um jeito ou de outro, todo ator que estrelou em uma novela australiana tem ido para Hollywood. Alguns deram certo. Russell Crowe, Naomi Watts, Guy Pearce, Heath Ledger, Chris Hemsworth. A maioria falhou. Robbie estudou essas pessoas e seus destinos assim como você possivelmente estuda as vidas dos santos, prestando uma especial atenção nos fracassos. Fracasso é o que ensina você – você aprende mais a partir de um erro do que de uma vitória. Quando seu contrato com Neighbours estava perto de ser renovado, ela preferiu em vez disso, ir para LA, onde ela fez uma audição para o reboot da série de TV ‘As Panteras’ (Charlie’s Angeles) da ABC. Ela não conseguiu o papel, mas, como eles disseram, os executivos da ABC gostaram dela para uma outra coisa: Pan Am, uma série de aeromoças criada pela mania pós-Mad Men. Ela sublimou seu sotaque australiano para aquela leitura, cambaleando para um sotaque americano meio desafinado. “Você tem que fazer o teste na frente de todos os produtores”, ela me disse. “É chamado de teste, e eles testam, digo, três a seis atores por papel. Você está em frente de um painel de executivos, e o showrunner, e todos eles, em uma sala com um projetor. É horrível, é o processo mais intimidante. E você tem que assinar o seu contrato antes do teste; você assina para sete anos antes mesmo de saber [se você tem a parte]. Eles não querem perder tempo testando pessoas que vão virar e dizer, ‘Eu valho um milhão de dólares por episódio.”

Robbie conseguiu um papel como Laura Cameron, uma noiva em fuga que abandona a vida de casado para um romance por asas de prata, motores a jato, e céus azuis. Ela falou sobre como era divertido viver e trabalhar em Nova York. Um apartamento em Williamsburg. Noites nos alpendres. Os sotaques e os personagens, os trechos mais ouvidos da comédia de rua.

Após os primeiros episódios, ficou claro para Robbie que Pan Am não iria ter uma segunda temporada. “Assim que ele passou no ar, eles estavam como, ‘Não, nós não conseguimos as classificações que queremos-vamos começar uma nova equipe inteira de roteiristas e torná-las mais como donas de casa.” E você fica tipo,’O que? Não era assim que o show seria.’ Depois do quinto episódio, você vê esta mudança abrupta no conteúdo. Se eles estão contratando roteiristas, obviamente a coisa não está indo bem. Se eles não pegarem os nove de volta, é quase certo que você não irá para uma segunda temporada.”

Enquanto isso, ela estava escapando para audições. Ela leu para o papel de Naomi – “a Duquesa de Bay Ridge” – em O Lobo de Wall Street de Martin Scorsese, baseado nas aventuras do comerciante sem escrúpulos Jordan Belfort. Na tela, Terence Winter descreve a personagem simplesmente como “a loira mais gostosa de todas.” Uma trabalhadora nascida no Brooklyn, a Duquesa engata-se a um viciado em drogas, moralmente comprometido prodígio interpretado por Leonardo DiCaprio. Na audição, Robbie saiu do roteiro para bater fortemente no rosto de DiCaprio. E conseguiu o papel. Outros papéis seguiram, nenhum particularmente memorável. Como Celine Joseph em Suite Française. Como a repórter de guerra em Whiskey Tango Foxtrot de Tina Fey. Como uma artista que está sendo educada por Will Smith em Focus. Mas nenhum destes importa. Foi Lobo que a definiu. A colocou com Sharon Stone em Casino e Cathy Moriarty em Raging Bull – uma das mulheres de Scorsese.

Como Robbie é nova em cena, os repórteres estão tentando consertá-la com uma narrativa. O trabalho da jornalista de celebridades: sustente-os não somente como se você os conhecesse mas como sempre tivesse os conhecido ou alguém parecido com eles. Mas Robbie é muito nova para ser sustentada. Menos sendo do que se tornando. A mais recente teoria a tem como uma celebridade desconfortável com a fama. Um caso de remorso de comprador. Ela fala sobre o seu irmão mais velho, um dublê que tem todas as excitações dos filmes sem as desvantagens da fama. Ser reconhecido, observado, assediado. Essa é a vida melhor, apenas um profissional entre profissionais, ninguém melhor, melhor do que ninguém? Eu perguntei a Robbie sobre sua história emergente. Eu chamei isso de tese. É verdade? Você é a mulher famosa que não quer ser famosa?

“É [verdade] até um certo ponto, mas não é a tese sobre mim como pessoa,” ela diz. “Quando você coloca isso como uma tese, parece que é a única questão na minha mente. Mas esta é apenas umas das questões, uma das coisas que eu penso. Como as coisas seriam diferentes se eu tivesse tomado decisões diferentes?”

O fato é, apesar da fama crescente, papéis de grande destaque e contratos publicitários – Robbie é o rosto da nova fragância da Calvin Klein Deep Euphoria – ela leva uma vida bastante normal. É o luxo de ser do mundo inferior. Em papéis maiores, ela teve que usar um novo sotaque junto a figurinos e maquiagem. Quando a gravação termina, ela volta para a sua voz normal, desaparece. De tênis e gírias, ela desaparece na rua de Nova York. Ou na rua de Londres. É onde ela vive, em um apartamento com amigos não-famosos, sempre uma perspectiva complicada. Isso inclui seu namorado, Tom Ackerley, quem ela conheceu enquanto gravava Suite Française – ele era o assistente do diretor – sua amiga de infância e assistente pessoal, Sophia Kerr, e outra amiga, Josey McNamara. Juntos, os colegas de quarto formaram uma produtora, LuckyChap Entertainment, a qual está desenvolvendo projetos para Robbie, incluindo Terminal, um thriller de Vaughan Stein, e, meu favorito, a história de Tonya Harding, na qual Robbie vai refazer-se no personagem mais americano que já tivemos.

Eu lhe perguntei sobre os sotaques, especialmente a representação bem feita da costa do Brooklyn em O Lobo de Wall Street. Era uma vez, os trens do centro da cidade estavam cheios de meninas que falavam exatamente daquele jeito. Robbie me disse que ela já passou dois anos aprendendo a parecer americana, “dois anos aprendendo sobre os músculos da sua boca e estruturas ósseas e ressonadores e tudo isso, então, eu tive uma boa base.” Para Lobo, ela continuou com o treinador de dialeto Tim Monich, “um dos melhores do mundo,” disse Robbie. “Pessoas reais. Nos baseamos em mulheres de Bensonhurst e Bay Ridge.”

Como você deixou a novela?, perguntei.

“Eu queria uma morte grande e dramática”, ela disse, “mas eles eram como, ‘Não, nós queremos mantê-la em aberto. Dessa forma, quando você não se der bem na América, você pode voltar para o seu trabalho aqui.‘ Então, minha personagem em Neighbours obteve uma bolsa de estudos em uma escola de moda em Nova York.”

Sobre seus primeiros dias nos EUA – como foi?

Ela riu. “Lembro-me de assistir a filmes americanos e programas de TV enquanto crescia e pensava , Oh, Deus, esses personagens loucos fazendo essas coisas estranhas, como os escritores pensam neles? Então me mudei para a América e conheci tantas pessoas como as pessoas nos filmes, e eu percebi, Oh, isto é apenas a vida real nos Estados Unidos.”

Falamos sobre Esquadrão Suicida, o spin-off de Batman que estreia este mês. Robbie interpreta Harley Quinn, uma psiquiatra de Nova York, que se apaixonou pelo Joker, enquanto ele estava em terapia, tornando-se primeiro o seu interesse amoroso, em seguida, seu ajudante e um super-vilão em seu próprio direito. A personagem, que entrou em Batman através da série de animação em 1992, foi desejada na tela pela paixão de um milhão de geeks da cidade de Gotham. Há um perigo personificando um avatar tão amado, mas imagens de Robbie em traje – tranças tingidas de vermelho e azul, batom vermelho-escuro, sorriso louco, e empunhando um taco de beisebol, como um dos gangsters em The Warriors – agitaram a comunidade em antecipação. Warner Bros. já começou a desenvolver um filme em que Harley Quinn vai ancorar, com a atriz também assumindo funções da produção.

O que é Harley Quinn? A mais assustadora de todas as anomalias de circo, a palhaça sexy. “Ela adora causar caos e destruição,” Robbie me disse. “Ela é incrivelmente dedicada ao Joker. Eles têm uma relação disfuncional, mas ela o ama de qualquer maneira. Ela costumava ser uma ginasta, isto é o seu conjunto de habilidades durante a luta.”

A conversa finalmente chegou em Tarzan. Pelos últimos anos de sua vida, o produtor do filme Jerry Weintraub, que morreu quando o filme estava em pós-produção, tem tentado trazer Tarzan de volta às telas. Tarzan, o clássico da juventude dos bairros periféricos de Jerry, os cinemas escuros do Bronx, a selva chora e balança trepadeiras. Foi a baleia-branca do velho homem, o santo graal brilhando no final do sonho, dentro e fora dos trilhos, enquanto ele perseguia roteiros, diretores e estrelas de cinema da magnitude adequada. “George Burns interpretou Deus,” ele disse, “mas isto é Tarzan!” Por um momento, Jerry acreditou que havia encontrado Tarzan no nadador olímpico Michael Phelps. Era tudo o que Jerry falava. “Será como Johnny Weissmuller,” Jerry me disse. “Todos os repórteres dirão, ‘Weintraub encontrou o novo Johnny Weissmuller!'” Neste ponto, Jerry jamais havia visto Phelps fazer nada além de entrar e sair de uma piscina. Então, como se tivesse sido arranjado, o nadador apresentou o Saturday Night Live. Como isso aconteceu na antiga hora de dormir de Jerry, ele pediu a sua assistente para gravá-lo. Eu estava trabalhando com Jerry em seu livro de memórias na época, um projeto que saiu de um perfil da Vanity Fair em 2008, e então sentei próximo a ele na manhã seguinte em sua sala de estar em Beverly Hills, cafés da manhã idênticos em bandejas idênticas atrás de nós, e minhas porções ligeiramente menores. Enquanto ele assistia ao monólogo de Phelps, eu o observava, seu humor mudando de animado para perturbado, verde para vermelho. Dois minutos depois, Jerry virou para sua assistente e gritou, “Isso não é Tarzan! Isso não é Johnny Weissmuller! Ele é um tonto! Por que ninguém me avisou que ele é um tonto? Desligue isso. Desligue isso, droga!”

Essa foi a meio de uma pesquisa que finalmente levou a Alexander Skarsgård como Tarzan e Robbie como Jane. Jerry falou da atriz em um tom que ele reservou para as grandes estrelas, as coisas certas, o Clooneys e Pitts, aqueles cuja magnitude parece antiquado. “Quando penso em Margot Robbie, uma única palavra vem à mente”, disse Jerry. “Audrey Hepburn.” Ao comparar Robbie com a estrela de filmes clássicos, Jerry Weintraub quis dizer que ela é grandiosa, lucrativa e elegante.

Veria o filme alguns dias depois. É fascinante. Aqui é um conto em que a própria premissa é problemática: um bebê branco é deixado na África mais escura, o misterioso Congo, e, dentro de uma geração, é rei. Anos mais tarde, confortavelmente situadas na aristocrática Inglaterra, ele deve retornar para libertar escravos africanos. É uma configuração que tachas duro para o vento de tantos tabus atuais. Há momentos em que o seu coração está em sua boca e você sussurra para si mesmo: Oh, por favor Deus, deixe-os fazer com segurança através da noite escura do Twitter. A maior parte do filme foi rodado na Inglaterra, em uma selva falsa de tela verde. Os gorilas parecem tanto com os gorilas em Planeta dos Macacos, você meio que espera um libertador símia começar a falar diretamente para Bright Eyes.

Cada geração tem seu próprio Tarzan. O meu era Christopher Lambert em Greystoke: A Lenda de Tarzan, Lord of the Apes. Jerry foi Weissmuller, o Tarzan original dos anos 30 e 40. Para Robbie, Tarzan era um personagem de um desenho animado das manhãs de domingo.

Você voltou e assistiu o velho Tarzan?, perguntei.

“Não, eu não queria ter quaisquer noções preconcebidas sobre como eu deveria interpretar”, disse ela. “Iria mexer com a minha cabeça.”

Ela pensou por um momento, então disse: “Eu só vi uma exibição de nosso Tarzan. Foi triste vê-lo, sabendo que Jerry não vai conseguir vê-lo. É chato… é uma coisa que sempre quis fazer. Isso é o que ele disse: “. Eu tenho vontade de fazer isso por tanto tempo'”

Isso me fez sentir solitário e triste. A noção de que uma pessoa como Jerry Weintraub pode simplesmente desaparecer da terra, que ele pode ser removido como uma peça do tabuleiro, e o jogo continua – é tão ridícula, uma torta na cara da humanidade de tão cruel, é melhor nem sequer falar sobre isso. Claro, eu não conseguia parar de pensar nele. Em seu roupão de seda vermelho, com as pernas e tornozelos pálidos, encontrando-se em cima de sua cama, em Beverly Hills, seu pastor alemão, Sonny, ao seu lado, beber uma vodka ou dizer uma oração ou chamando através do intercomunicador para Susie Ekins, seu outro significativo e uma produtora de Tarzan-Soozie. Sooz. Soozie. Sooz.

Eu olhei para Robbie de uma nova maneira, tentando vê-la como ela deve ter olhado para Jerry. Um eco, um retrocesso. “Uma única palavra: Audrey Hepburn.” De outro lugar, uma outra hora. Nela, Jerry pode ter visto uma espécie de pureza perdida, o que temos dado para a emoção de uma cultura crasso, roda livre, saturada de sexo. É uma revolução sugerida por dois pontos na obra Margot Robbie. É como Pan Am, uma fantasia da América, onde Bryn Mawr levou meninas para o céu em busca de maridos e depois tornar-se a Duquesa que fica parada, nua em frente à porta, virando-se lentamente como uma Ferrari em uma plataforma de uma sala de exposição, uma humana sendo refeita no final do século 20, drogada, sem dinheiro, e pendurada na parede como um troféu.

Perguntei para Robbie sobre as cenas de sexo. Em Wolf, ela participa de algumas das mais gráficas travessuras na tela que eu já vi, famosa cena em que está de vestido curto, empurrando um DiCaprio para longe com a ponta do sapato, dizendo: “Mamãe está tão doente e cansada de usar calcinha.”

“Nesse primeiro filme de baixo orçamento que fiz na Austrália, eu tinha uma cena do chuveiro”, ela me disse. “Então, eu estava praticamente nua lá também, mas não foi em qualquer lugar, tanto quanto em Wolf, mas ainda assim foi…”

Ela fez uma pausa, depois continuou.

“Na verdade, eu não tinha feito uma cena de sexo adequada antes. Eu tinha feito cenas onde se está levando para o sexo ou quando o sexo acaba de terminar, mas eu não tinha feito uma cena de sexo início ao fim como eu fiz em Wolf. Essa foi minha primeira.”

Existe alguma maneira para se preparar?

“Não. Toneladas de pessoas estão assistindo você”.

Você estava preocupada em não conseguir fazer?

“Não tem uma opção. É como, isto é o que você precisa fazer – ir em frente. Quanto mais cedo você fizer, mais cedo você pode parar de fazer isso.”

Parece muito estranho.

“É tão estranho.”

Nós nos sentamos para um momento de silêncio. Ela estava pensando em alguma coisa; Eu estava pensando em outra coisa. Então ela se levantou, despediu-se e foi ver um amigo do outro lado da sala. Jerry estava certo. Ela pareceu exatamente como Audrey Hepburn indo embora.

» Confira o ensaio em nossa galeria:

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2016 > VANITY FAIR – AGOSTO

» Margot Robbie define 50 gírias australianas em menos de 4 minutos

» Bastidores do ensaio

Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil
Fonte
postado por Mari na categoria Entrevistas