O novo filme de Margot Robbie, Terminal, chega aos cinemas americanos e plataformas digitais na próxima semana! Enquanto os jornalistas ainda não podem revelar muito sobre os personagens, o USA Today divulgou uma nova cena e descreveu cada um de jeito mais simples. Confira:

Margot Robbie continua o caminho bem interessante de sua carreira em Hollywood – a interesseira do Brooklyn (O Lobo de Wall Street), a supervilã com um bastão (Esquadrão Suicida), a campeã olímpica (Eu, Tonya) – com Terminal, um suspense neo-noir repleto de dançarinas exóticas, assassinos, mentes criminosas, placas de neon, mais reviravoltas que o pretzel da Tia Anne e alguns tons de Alice no País das Maravilhas.

Dirigido por Vaugh Stein e produzido pela indicada ao Oscar Robbie, o filme (que estreia dia 11 de maio nos cinemas e nas plataformas digitais como iTunes e Amazon) é Sin City vista pelas lentes de Blade Runner. Terminal entrelaça histórias ambientadas em uma estação de trem em uma cidade inglesa, e também em uma lanchonete por perto – o local desse vídeo com Robbie e o parceiro de cena, Simon Pegg.

Enquanto não podemos dizer muito sobre eles sem revelar os mistérios, aqui estão os quatro personagens coloridos que fazem uma visita a Terminal valer a pena:

Annie, a garçonete misteriosa

Robbie não está apenas servindo torta e café barato aqui, e só o trailer nos mostra sua manipuladora Annie (em vários penteados) fazendo pole dance, apontando uma arma para um cara e parecendo que ela vai esfaquear outro cara (que está amarrado). Então, quando Annie diz, “Eu tenho uma sede insaciável por sangue, escuridão e depravação,” você meio que acredita nela.

Bill, o professor suicida

Um professor de inglês infestado por uma doença terminal desconhecida e sem tratamento – não é câncer, ele checou – Bill (Pegg) acaba na Lanchonete Fim da Linha querendo viajar para, bom, o fim da linha. Ele está pronto para se matar, e Annie definitivamente tem algumas ideias de como ele deveria fazer isso.

Vince e Alfred, os assassinos de aluguel

Esses dois assassinos contratador conseguem um novo trabalho do obscuro Sr. Franklyn, apesar de que eles devem matar um ao outros antes do trabalho terminar. Vince (Dexter Fletcher) é o veterano homem alfa da dupla, constantemente colocando o novato Alfred (Max Irons) para baixo. Alfred, novo namorado de Annie, não gosta do tratamento e começa a tramar pelas costas de seu parceiro.

Clinton, o faxineiro noturno esquisitão

Há sombras de personagens de Austin Powers – um pouco de Austin aqui, um pouco de Fat Bastard ali – no trabalhador manco de Mike Myers, que é dentuço, tem sotaque de Cockney e uma ótima disposição (pelo menos comparado com o resto dessa equipe). Clinton limpa a bagunça quando é preciso, mas como todos em Terminal, possui seus próprios segredos que acrescenta algo à narrativa.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

A revista Entertainment Weekly publicou uma matéria sobre os próximos filmes do ano e Terminal ganhou seu próprio espaço. Na matéria, Margot Robbie fala sobre os vários visuais de sua personagem, Annie, ao lado do diretor Vaugh Stein e do figurinista Julian Day. Confira:

Margot Robbie estrela em Terminal como uma golpista com um guarda roupa de matar. O suspense cheio de sangue de Vaugh Stein é situado no mundo do crime com muitos assassinos mas no centro temos a glamurosa e enigmática Annie. “Eu amei que temos todos esses personagens masculinos andando por aí pensando que eles estão no comando de tudo, quando realmente é ela quem está mexendo os pauzinhos,” Robbie diz com uma risada.

Para alcançar seus alvos abomináveis, Annie pode se transformar em qualquer coisa que encaixe em seu propósito – a mulher fatal, a garçonete louca, a stripper com fala difícil – e o diretor-roteirista de primeira viagem, Stein, a descreve como “uma aparição vingativa e camaleônica” que pode transformar tanto seu estilo quanto sua personalidade. “Ela pode encontrar a fraqueza de qualquer homem que ela lida,” diz Stein. “Ela pode avaliar o que eles precisam e se adaptar para tornar-se a melhor predadora possível.” Aqui, Robbie, Stein, e o figurinista Julian Day falam sobre alguns dos looks de matar de Annie.

A MULHER FATAL

Terminal se passa em uma cidade anônima cercada por luzes neon e o estilo é parte glamour vintage e parte distopia futurística. Isso permitiu que Day brincasse com cores anacrônicas e silhuetas. “É uma história atemporal que não se passa em uma era específica,” o figurinista explica. “E eu queria escolher as melhores peças do século passado.” Primeiramente temos um sobretudo vermelho que Day desenhou baseado em uma peça dos anos 50. “Nós testamos duas dúzias de tons de vermelho para chegar nessa cor específica,” ele explica.

A SERPENTE SEDUTORA

No começo do filme, Annie vai se confessar com lábios vermelho sangue, um casaco de pele falsa e meia calça com estampa de serpente. “Eu lembro da primeira vez que a Margot experimentou esse figurino,” Stein diz. “Ela andava como uma serpente e seu andar tinha um sentimento noir.” Uma peruca com corte reto amplia a vibe, lembrando Barbara Stanwyck em Pacto de Sangue ou Sean Young em Blade Runner.

A CHEFE DO CABARÉ

O look favorito de Robbie é essa lingerie extravagante escondida por um casaco de pele, que Annie usa enquanto está trabalhando em uma boate do submundo. “Eu amei,” diz ela. “Eu estou contando dinheiro em um casaco enorme, um cigarro na minha boca, e estou dizendo para esses criminosos calarem a boca.” Stein salpicou referências para Alice no País das Maravilhas durante o filme, e o nome da boate, Le Lapine Blanche, está gravado no casaco branco de Annie. Para essa volta tóxica, Robbie sugeriu um batom preto puxado para o tom verde.

A ENFERMEIRA DO INFERNO

Day inspirou esse figurino de enfermeira de uniformes verdadeiros dos anos 50, e Robbie usou uma base clara que destacou suas olheiras, para o que Stein chama de “um visual assombrado e lunático.” “Durante todo o processo, Margs usou figurinos que serviam para destacar sua beleza,” Stein explica. “Esse foi inspirado para trazer medo.”

Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Com as filmagens de Aves de Rapina cada vez mais perto de acontecer, a Warner decidiu deixar a sequência de Esquadrão Suicida para depois. De acordo com o jornalista Justin Kroll, da Variety, o filme não será mais filmado esse ano. Saiba mais:

“Quanto a Esquadrão Suicida 2, claramente as filmagens não serão em 2018. A decisão de seguir em frente com Aves de Rapina não só teve influência do roteiro de Hodson, mas também a ideia de fazer com a Batgirl o que a Marvel fez com o Pantera Negra em Guerra Civil: introduzi-los no universo antes de dar a eles seus próprios filmes.”

Justin também comentou sobre os roteiros de Aves de Rapina:

“Algumas coisas sobre Aves de Rapina que fiquei sabendo desde que Cathy se tornou diretora: Há duas versões do roteiro, a única coisa em comum é que Harley e Barbara Gordon estão nos dois. Personagens diferentes em ambos.”

“Também ouvi uma pequena possibilidade de Esquadrão Suicida começar as filmagens quase imediatamente após Aves de Rapina.”

A diretora asiática Cathy Yan foi a escolhida da Warner Bros. para dirigir o spin off da Harley Quinn, que muitos estão apostando ser Aves de Rapina. Saiba mais:

Warner Bros e DC Entertainment escolheram Cathy Yan para ser a diretora de um filme sem título sobre um grupo de garotas, possivelmente o próximo filme a ser agraciado com a Harley Quinn de Margot Robbie que roubou as cenas em Esquadrão Suicida. Um acordo ainda será completado, mas é esperado que Yan seja a terceira diretora a se juntar ao clube da DC após Patty Jenkins e Ava DuVernay, e a primeira asiática a dirigir um filme de super herói.

Essa é uma aposta corajosa para Geoff Johns e Walter Hamada, que supervisionam a DC além de Toby Emmerich. Yan conseguiu o trabalho ao invés de vários diretores bem estabilizados, e porque ela está dando esse salto grande com apenas um filme independente de pouco orçamento em seu currículo. Esse seria Dead Pigs que ganhou um prêmio no Sundance em janeiro. Apesar de ser um novo talento, a apresentação de Yan para Aves de Rapina foi excepcional, e Robbie insistiu em seu desejo de ver o filme dirigido por uma mulher.

A LuckyChap de Robbie está produzindo ao lado de Sue Kroll com sua Kroll & Co Entertainment e Bryan Unkeless da Clubhouse Pictures. Robbie e Unkeless produziram I, Tonya.

O projeto é baseado em Aves de Rapina, onde o universo DC junta Quinn com várias outras heroínas, como Canário Negro, Barbara Gordon (Batgirl) e Caçadora. Não é confirmado se todas serão personagens no filme. O que é claro é que ambas as personagens principais e a maior parte do time criativo é composto de mulheres, extraordinário para um filme de super herói de estúdio. O roteiro foi escrito por Christina Hodson, que escreveu o spin off de Transformers, Bumblebee, e acabou de ser contratada para escrever o filme da Batgirl.

O filme parece pronto para começar a produção no final do ano ou no início do ano que vem, assim que Robbie completar as filmagens de Once Upon a Time in Hollywood. Ela está negociando para estrelar ao lado de Leonardo DiCaprio e Brad Pitt no filme dirigido por Quentin Tarantino para a Sony Pictures. Os outros filmes da Harley Quinn ainda estão em construção. Isso inclui a sequência de Esquadrão Suicida dirigida por Gavin O’Connor. Os outros dois, Harley Quinn Vs The Joker e Gotham City Sirens com o diretor de Esquadrão Suicida David Ayer, ainda parecem estar bem longe.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil