siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!

Arquivo de 'Filmes'



03.11.17
Desde Tonya Harding até Nancy Kerrigan, veja como I, Tonya recria os personagens da vida real

O site Entertainment Weekly compartilhou um artigo onde eles comparam trechos do trailer de I, Tonya com os acontecimentos reais da vida de Tonya Harding. Confira abaixo:

Por dentro dos altos e baixos de Tonya Harding na grande tela:

O animado reconto de Craig Gillespie sobre os altos e baixos da famosa patinadora artística Tonya Harding pode ter várias licenças dramáticas (veja o novo trailer para uma Margot Robbie com o rosto ensanguentado fazendo careta para a câmera e em outra cena enquanto brandia uma espingarda para perseguir o ex marido de Tonya, Jeff Gillooly), mas, em sua raiz, I, Tonya é um filme cheio da rica e real história de uma problemática atleta lutando por seu lugar no mundo. Em frente, veja quão próximos os personagens do filme estão da vida real.

A ascensão de Harding ao estrelato

null

Antes de se tornar uma persona non grata no circuito profissional de patinação no gelo, Harding ganhou sua reputação através de uma série de apresentações fortes em nível internacional, ficando em primeiro lugar na Skate America em 1990 e 1992, e em segundo no Campeonato Mundial em 1991.

LaVona Golden (Allison Janney)

null

Com doenças aviárias e tudo, a personagem mais colorida de I, Tonya vem na forma da mãe abusiva, boca suja e bêbada de Harding, LaVona Golden, cuja inclinação para casacos de pele e amigos com penas ganham vida com engraçada convicção vinda da destemida Allison Janney.

Campeonato Americano de Patinação Artística de 1991

null

Considerado amplamente como seu maior ano como patinadora profissional, Harding fez um axel triplo no Campeonato Americano de Patinação Artística em 1991, se tornando a primeira americana a completar a difícil manobra na história da competição.

Jeff Gillooly (Sebastian Stan)

null

Antes da conspiração de acabar com a chance olímpica de Kerrigan, o relacionamento de Harding e Gillooly estava repleto de supostos abusos. Eles se casaram quando Harding tinha 19 anos e se divorciaram três anos depois. Ela acustou Gillooly de abusar fisicamente dela durante a união.

O incidente com Nancy Kerrigan

null

A atriz de ‘Cidades de Papel’, Caitlin Carver, interpreta um pequeno papel como Nancy Kerrigan no filme, uma performance que se destaca durante a emocionante recriação do escândalo bem documentado do joelho atacado (feito por conhecidos de Harding) que agitou o mundo dos esportes – e quase arruinou a chance de Kerrigan na competição em Lillehammer.

Shawn Eckhardt (Paul Walter Hauser)

null

Gillooly e o segurança de Harding, Shawn Eckhardt, contrataram um assaltante para executar o ataque em Kerrigan durante um de seus treinos antes da competição em Detroit. Eckhardt cumpriu pena na prisão mais tarde e foi solto em setembro de 1995. Em uma entrevista para a televisão com Diane Sawyer, Eckhardt alega que Gillooly veio até ele, inicialmente querendo “acabar com Kerrigan”, mas Eckhardt sugeriu mais tarde que uma alternativa apropriada para matá-la seria atacar sua “perna de pouso” com um objeto sem ponta. Eckhardt morreu em 2007.

Olimpíadas de Inverno de 1994

null

Apesar da grande oposição sobre continuar na competição, Harding manteve seu lugar no time americano nas Olimpíadas de Inverno de 1994 em Lillehammer, competindo no auge do famoso incidente de Nancy Kerrigan. Ela começou sua apresentação com um problema no cadarço, e implorou para os juízes darem a ela uma segunda chance, o que fizeram. Ela terminou em oitavo lugar, enquanto Kerrigan ganhou uma medalha de prata.

Harding na imprensa

null

Enquanto a imprensa cobriu sua acensão nos pódios de patinação artística, eles também atacaram ferozmente sua queda do outro lado do incidente com Kerrigan.

Harding hoje em dia

null

Gillespie constrói o filme como uma coleção de memórias ditas pelo olhar reflexivo de uma Harding mais velha e domesticada enquanto ela concede uma entrevista em uma cozinha em ruínas dentro de sua casa no subúrbio, anos após sair dos holofotes. A performance de Robbie nesses momentos sugerem uma mulher mais forte usada por um breve – mas exaustivo – momento pelo escrutínio da mídia, não muito diferente da mulher cuja vida inspirou o projeto.

Fonte | Tradução & Adaptação: Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Filmes
03.11.17
Vídeo: Assista ao trailer completo de I, Tonya

Ontem foi liberado o primeiro trailer do longa I, Tonya, onde Margot interpreta a patinadora Tonya Harding que foi envolvida em um incidente com sua oponente nas Olimpíadas de 1994. Confira o trailer em sua versão para maiores e censurada:

postado por Mari na categoria Filmes
31.10.17
Margot Robbie irá produzir a adaptação do livro The Paper Bag Princess

Margot irá produzir a adaptação do livro de 1980 para a Universal Pictures, The Paper Bag Princess. Além dela, a atriz Elizabeth Banks também está no projeto. Confira detalhes:

Elizabeth Banks e Margot Robbie estão formando um time para abordar o clássico livro infantil moderno, The Paper Bag Princess.

Universal Pictures ganhou a guerra de lances pelos direitos do livro de Robert Munsch com Banks dirigindo. Banks e Robbie irão produzir por meio de suas produtoras, Brownstone Productions e LuckyChap Entertainment. Também produzindo estará Max Handelman da Brownstone assim como Tom Ackerley, Bryan Unkeless e Dan Krech da LuckyChap.

Katie Silberman estará escrevendo o roteiro.

A intenção é de Robbie estrelar, porém isso irá depender de vários fatores, incluindo o roteiro e a agenda.

Publicado em 1980 com arte de Michael Martchenko, a história é sobre uma princesa prestes a casar com seu perfeito príncipe encantado quando um dragão ataca o reino, sequestra o príncipe e queima o castelo. Sem nenhuma roupa para usar, a princesa veste uma sacola de papel e sai para derrotar o dragão. Quando ela salva o príncipe, ele a repreende com ingratidão por não estar parecendo uma princesa. A menina então o chama de “parasita”, larga ele e dança sozinha em direção ao pôr do sol.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Filmes
20.10.17
Margot Robbie e I, Tonya são indicados ao Gotham Awards

Foram anunciadas hoje as indicações para a premiação Gotham Independent Film Awards e Margot foi indicada como Melhor Atriz por I, Tonya e o filme foi indicado na categoria de Melhor Filme! Parabéns para o elenco e equipe por esse começo ótimo de temporada de premiações!

postado por Mari na categoria Filmes
20.10.17
Vídeo: Assista ao primeiro teaser trailer de I, Tonya

Foi liberado hoje o primeiro teaser trailer de I, Tonya, onde a Margot interpreta a patinadora artística Tonya Harding. O filme é uma biografia da patinadora que teve sua carreira encerrada após um trágico incidente nas Olimpíadas de Inverno de 1994. No elenco também temos Sebastian Stan como Jeff Gillooly e Allison Janney como LaVona Golden. Confira o teaser legendado por nossa equipe:

postado por Mari na categoria Filmes
15.10.17
Margot Robbie sobre interpretar uma mãe que se coloca em primeiro lugar

Margot falou recentemente com a revista Glamour sobre como foi interpretar Daphne Milne em Goodbye Christopher Robin. A atriz defende sua personagem e explica seus motivos. Confira abaixo:

Há um momento adorável em Goodbye Christopher Robin onde Daphne Milne (interpretada por Margot RobbieWill Tilston) com um ursinho de pelúcia. Ela disfarça sua voz de um jeito brincalhão e alegra seu filho ao trazer o brinquedo a vida de um jeito que só uma mãe consegue. Tudo sobre essa cena, que é ambientada no interior da Inglaterra em 1920, é tão encantadora quanto você espera da locação que inspirou o icônico livro infantil.

Porém, existe uma tristeza oculta nesse momento. Estamos na Inglaterra pós-Primeira Guerra Mundial, e o pai de Christopher Robin, o bem sucedido humorista e dramaturgo conhecido como A.A. Milne, está um pouco danificado por causa da guerra. Ele também está sofrendo com o que conhecemos como estresse pós-traumático. Ele se mudou com a sua família para o interior com esperança de um novo começo, mas Daphne, uma socialista de Londres até o caroço, está perdida e profundamente infeliz nesse novo ambiente. Sua solução? Deixar seu marido e filho pequeno por semanas algumas vezes para correr atrás de seus interesses na cidade.

“Daphne era apaixonada por suas roupas, jóias, jardinagem e decoração,” Margot Robbie diz sobre sua personagem. Mas ela era apaixonada pela maternidade? “Não, não, não mesmo,” o roteirista do filme, Frank Cottrell-Boyce, explica. “Ela estava apavorada por conta disso.

Apesar de ser comum para as mães no tempo, e classe, de Daphne raramente verem seus filhos e deixar as babás fazerem a maior parte da criação da criança, Daphne estava longe de ser comum. Na verdade, de muitos jeitos a Sra. Milne poderia ser descrita como a primeira “mãeagente”. “Ela encorajou seu marido a publicar seu trabalho e fazer a divulgação,” o diretor Simon Curtis explica. “Ela gostava da fama. Ela gostava de ser esposa de um famoso dramaturgo, autor e a mãe de uma criança famosa. Ela não via o lado potencialmente ruim. E para ser justo com ela, ninguém tinha testado esse lado ruim antes. Era um conceito totalmente novo.”

Aos olhos modernos, negligenciar os deveres de pais para festejar e socializar estão longe de ser atributos para “Mãe do Ano”, mas parte do que faz Daphne e o filme tão fascinantes é a decisão intencional de não a fazer ser uma vilã por conta disso. “Eles não estavam tentando fazer ela ser uma coisa,” Robbie explicou para a Glamour. “Era muito evidente no roteiro que o escritor não a via como vilã, mas também não a fez como essa dama perfeita e reservada. Eu amei que ela era complicada e tinha um ponto de vista forte. Eu não queria amolecê-la. Eu queria abraçar as falhas de sua personalidade e também iluminar algumas de suas escolhas e decisões. O público pode não gostar de suas atitudes no começo, mas no final do filme eu espero que possam entender por que ela se comportava daquele jeito.”

Domhnall Gleeson, que interpreta A.A. Milne, não poderia concordar mais com sua esposa nas telas. “Eu acho que a Margot fez uma ótima decisão em não pedir desculpa pelas atitudes de sua personagem,” ele nos contou na premiere do filme em Londres. “Ela disse que conheceu pessoas assim em sua vida, pessoas fortes que parecem rudes e não se desculpam por isso, e eu amo que ela escolheu esse caminho com a Daphne. E ainda mais, Daphne estranhamente deu mais coragem e apoio ao seu marido do que parece, seja com tempo livre com seu filho, tempo livre para escrever, etc. Deixá-lo no meio da situação onde ele estava desconfortável era o que ele precisava, e eu achei isso muito interessante.”

Cottrell-Boyce ecoa o sentimento de Gleeson, explicando que “o propósito dela é fazer você entender as pessoas. Ela era difícil, sim, e eu acho que você a julgaria se a conhecesse na vida real, mas o propósito do filme e mostrar para você que todo coração tem suas razões.”

Falando em razões, “Eu espero que os espectadores percebam o quão traumático era para as mulheres que ficavam em casa na guerra tanto quanto era para os homens que estavam na guerra,” diz Robbie sobre a decisão de Daphne de mergulhar em um mundo diferente. “Somente percebam por um momento o quanto essa devastação podia afetar a vida das pessoas.”

E enquanto a maioria das pessoas não diriam que é amor ver seu filho somente por uma hora ou dia, Curtis diz que não havia dúvidas de que Daphne realmente amava seu marido e filho. “Pode parecer estranho, mas eles realmente amavam um ao outro. Ela era incrivelmente prestativa a seu marido. Ela se mudou para o interior por ele e o encorajou a escrever sabendo que ele não seria feliz se não fizesse isso. E então uma vez que ele finalizou seu trabalho, ela o ajudou a divulgá-lo. Mas ela também estava aproveitando sua própria vida.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Entrevistas
14.10.17
Vídeos Legendados: Margot Robbie fala sobre I, Tonya e Harley Quinn no TIFF

Durante sua passagem pelo Toronto International Film Festival, Margot foi entrevistada pela Vanity Fair sobre I, Tonya e sua personagem no DCEU, Harley Quinn. Trazemos abaixo os vídeos legendados:

postado por Mari na categoria Entrevistas
14.10.17
Elenco de I, Tonya receberá prêmio no Hollywood Film Awards

Margot e o elenco de I, Tonya receberão uma homenagem no Hollywood Film Awards, a primeira premiação da Award Season, no dia 5 de novembro. Confira detalhes:

Mary J. Blige, Timothee Chalamet e o elenco de I, Tonya serão homenageados no próximo Hollywood Film Awards no dia 5 de novembro no Beverly Hilton em Los Angeles.

Blige irá receber o prêmio de atriz revelação por seu papel em Mudbound, enquanto Chalamet será reconhecido por sua performance em Call Me by Your Name com o prêmio de ator revelação. Adicionalmente, o elenco da biografia I, Tonya, que foca na famosa patinadora Tonya Harding, incluindo Margot Robbie (que estrela como a patinadora), Allison Janney, Sebastian Stan, Paul Walter Hauser, Julianne Nicholson e Caitlin Carver serão homenageados com o prêmio de elenco.

O evento do dia 5 de novembro será apresentado por James Corden e será a 21ª edição do “lançamento oficial da temporada de premiações.” Na história do Hollywood Film Awards, mais de 120 de seus homenageados ganharam indicações e/ou venceram as premiações da Academia.

A cerimônia desse ano irá beneficiar o MPTF, que apoia a comunidade do entretenimento em viver e envelhecer bem, com dignidade e propósito, e ajudar um ao outro em suas horas de necessidade.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Eventos
24.09.17
Margot Robbie fala sobre Goodbye Christopher Robin com a EW

Margot conversou com a revista Entertainment Weekly sobre seu novo filme, Goodbye Christopher Robin. A revista também divulgou novos stills que podem ser conferidos na nossa galeria. Confira a entrevista traduzida abaixo:

Domhnall Gleeson e Margot Robbie estão indo para o Bosque dos Cem Acres no novo filme de Simon Curtis. O par estrela como o amado autor A.A. Milne e sua esposa Daphne de Selincourt,os pais de uma das crianças mais famosas na literatura de todo o tempo: Christopher Robin. O lançamento Goodbye Christopher Robin conta a história de como o jovem Milne voltou da Primeira Guerra Mundial e se tornou uma sensação internacional após publicar histórias baseadas nos brinquedos de seu filho – incluindo o mais famoso, Ursinho Pooh.

“Eu nunca considerei por que o Ursinho Pooh era tão popular,” Robbie diz ao EW. “Mas foi muito interessante aprender que parte da razão dessa popularidade foi que veio em um tempo onde o país e o mundo estavam machucados por causa da guerra. Após a Primeira Guerra Mundial, todo mundo sentiu que sua inocência foi roubada. Isso devolveu um pouco a eles. Você poderia abrir esses livros e havia essa vida bonita, simples e feliz que você poderia se transportar. As pessoas precisavam disso na época, e provavelmente ainda precisam hoje em dia.”

O novato Will Tilston interpreta o jovem Christopher Robin, que era chamado de Billy Moon por seus pais em casa. Quando os livros de Milne decolam, Christopher Robin se torna um nome familiar.

“O filme é uma história de advertência sobre como a fama pode ser para as crianças – como pode roubar deles suas infâncias,” Robbie diz. “Eu acho que o que era particularmente difícil sobre a situação de Christopher Robin era que não havia tantas pessoas famosas, ou pelo menos tantas crianças famosas como há hoje em dia. Era ele e Shirley Temple, e talvez algumas crianças da realeza. E só. Então havia muita atenção nele, e não existia um lugar no mundo onde não tinham ouvido sobre ele, literalmente.”

Apesar de Robbie interpretar a mãe de Christopher Robin, ele passa a maior parte de seu tempo com sua babá Olive (Kelly Macdonald). Como resultado, ele e sua mãe possuem um relacionamento formal.

“Era uma época bem diferente e a criação naquela época também era bem diferente,” diz Robbie. “”Não era fora do normal passar meia hora com seu filho no começo do dia e meia hora talvez durante a noite. O resto do tempo, eles ficavam com as babás. Então eu foquei nisso, que não era uma coisa fora do normal.”

Para conseguir essa formalidade entre mãe e filho, Robbie tentou evitar passar muito tempo fora do set com Tilston, apesar de não conseguir resistir algumas vezes.

“Eu intencionalmente não me deixei ficar muito próxima de Will,” ela diz. “Eu queria que tivesse um sentimento formal entre nós nas cenas. Eles não são familiares um com o outro. Apesar de ficar tentada porque ele é a criança mais fofa e eu queria ficar com ele e rir com ele!”

Também ajudou que Robbie era fã do Pooh há muito tempo.

“Definitivamente tinha um senso de nostalgia para mim,” ela diz. “Eu tinha um brinquedo do Ursinho Pooh e do Tigrão, e minha mãe costumava fazer as vozes dos personagens como a Daphne faz para o Billy Moon no filme. Então isso foi um pouco familiar, obviamente.”

“Domhnall é o cara mais legal do mundo, então trabalhar com ele é muito fácil,” Robbie diz sobre seu marido na tela. “Uma coisa que falamos muito com o Simon foi que o amor entre Milne e Daphne tinha que ser de verdade. Nós tínhamos que vê-los se divertindo, rindo e dançando.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Entrevistas
23.09.17
Margot Robbie quer ver Harley Quinn e Joker “se acabarem em chamas”

A atriz de 27 anos estrelou como a vilã feminina no filme Esquadrão Suicida, juntamente com o Coringa de Jared Leto e os dois irão retomar seus papéis para um filme de spin-off, mas Margot não acha que haverá um final feliz para o par.

Ela disse a BANG Showbiz: “Sua história de amor tem que acabar em chamas! É preciso, não seria correto”.

A bela loira já admitiu que ela espera que o spin-off seja uma “história de amor” e ela insistiu que os dois personagens sinistros tenham um relacionamento “romântico” à sua maneira.

Ela disse: “Pessoalmente, eu sou uma tonta com histórias de amor. Em qualquer iteração. Eu acho que as pessoas gostam de ver dois personagens que, no caso de Harley e Coringa, morreriam um pelo outro. É meio romântico de forma desordenada.”

Margot também elogiou os diretores do projeto Glenn Ficarra e John Requa – com quem ela trabalhou anteriormente no ‘Focus’ e ‘Whiskey Tango Foxtrot’ – como “brilhante”.

Ela acrescentou: “Eles são ótimos! É divertido trabalhar com uma dupla de diretores e eu os amo. Obviamente, fiz dois filmes com eles, então acho que eles são simplesmente brilhantes”.

Acredita-se que o spin-off seja uma “história de amor criminal”, com uma fonte acrescentando: “É uma história de amor insana e torcida.” Quando Harry conheceu Sally “na benzedrina”.

Jared admitiu anteriormente que adorou trabalhar com Margot no Esquadrão Suicida.
Ele disse: “Foi uma experiência incrível! Todos foram incríveis. Margot Robbie, é uma das melhores pessoas, uma das melhores atrizes com quem eu já trabalhei. Adorei trabalhar com ela. Achei as cenas e o que nós dois fazíamos juntos foram alguns dos momentos mais divertidos que já tive antes.”

“Tudo é ótimo nesse mundo e estou realmente orgulhoso de fazer parte disso”.

 

Fonte | Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Milene na categoria Filmes