Durante uma entrevista para a rádio KIIS FM da Austrália, Margot foi questionada sobre a dificuldade de fazer a voz de uma personagem com língua solta, mas ela acabou revelando um segredo que a ajudou com essa característica da Flopsy. Confira:

Ela é a atriz australiana que sempre parece legal, calma e elegante nas telas e no tapete vermelho, mas Margot Robbie se descreveu como uma idiota após revelar que ainda usa retentor dental. Conversando com Kyle e Jackie O na segunda, Margot fez a confissão enquanto discutia seu mais recente filme, Peter Rabbit.

“Foi difícil fazer uma personagem com ceceio?” Kyle Sandilands perguntou para a estrela.

“Eu estava dizendo mais cedo que quando eu uso meu retentor dental de noite, eu falo meio que com a língua solta,” ela disse. “Eu sou uma idiota.”

A confissão da atriz indicada ao Oscar deixou os entrevistadores surpresos e querendo saber mais.

“Por que você usa retentor? É porque você range os dentes ou para deixá-los retos?” Jackie sondou.

Um pouco envergonhada com a pergunta, a simpática Margot revelou que ela usou dois retentores desde que ela tinha 14 anos.

“Isso é muito vergonhoso, eu tenho dois retentores, um para os de baixo que é por ranger os dentes e outro para os de cima para que meus dentes não se movam,” ela explicou.

Margot continuou: “Quando eu tirei meu aparelho quando eu tinha 14 anos, meu dentista disse que eu só precisaria usar os retentores por dois anos, mas eu sou tão paranóica que 10 anos depois e eu ainda estou usando.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Após muitos rumores e especulações, Margot Robbie foi confirmada no elenco do nono filme no diretor Quentin Tarantino, Once Upon a Time in Hollywood, onde viverá Sharon Tate. Também no elenco estão Brad Pitt e Leonardo DiCaprio. Confira:

Fo noticiado em julho que Quentin Tarantino tinha se encontrado com Margot Robbie e pediu para que ela interpretasse Sharon Tate em seu próximo filme. Agora ela está com a oferta e as negociações estão em andamento para tornar isso uma realidade. Robbie, que está com uma indicação ao Oscar recente por seu papel em I, Tonya, irá se juntar a Brad Pitt e Leonardo DiCaprio em Once Upon a Time in Hollywood.

Enquanto Tarantino continua a montar um elenco de matar, Sony Pictures agendou a estreia mundial do filme para 9 de agosto de 2019. O filme é no estilo de Pulp Fiction e se passa em Los Angeles em 1969, no auge da época hippie em Hollywood, por volta do assassinato de Tate e muitos outros em uma chacina comandada por Charles Manson.

Os outros dois personagens principais são Rick Dalton (DiCaprio), uma antiga estrela de uma série de televisão, e seu dublê de longa data Cliff Booth (Pitt). Os dois estão com dificuldades para sobreviver em uma Hollywood que eles não reconhecem mais. No filme, Tate é a vizinha famosa de Rick.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

O mais novo projeto da Margot, Dangerous Odds, conseguiu financiamento e entrará em produção. O filme foi anunciado em 2015, porém só agora sairá do papel com ajuda da Bold Films e LuckyChap Entertainment. Confira detalhes:

Bold Films irá financiar o projeto de Margot Robbie, Dangerous Odds, onde a indicada ao Oscar de Melhor Atriz por I, Tonya irá interpretar a faxineira que virou chefe do império do esporte de apostas ilegais, Marisa Lankester. O projeto foi pego em uma reviravolta da Warner Bros., onde a produtora de Robbie, LuckyChap possui um acordo de first-look.

O projeto é baseado na autobiografia de Lankester, Dangerous Odds: My Secret Life Inside an Illegal Billion-Dollar Sports Betting Operation, que originalmente foi vendido para a Warner Bros. em um leilão em janeiro de 2015. LuckyChap e Entertainment 360, a produção da Management 360, irão produzir com Bold, e o filme é baseado no roteiro de Andrea Berloff (Straight Outta Compton).

A história dos trapos para a riqueza de Lankester se passa durante os anos 80 enquanto ela se eleva e assume um papel fundamental ao estabelecer a primeira operação de jogo fora do país, fazendo isso se tornar um império do crime de bilhões de dólares por ano. Robbie irá interpretar Lankester, uma linda mulher que busca emoção e se torna insider no império do império do esporte de apostas ilegais comandado por Ron “The Cigar” Sacco. Ela se apaixonou por seu parceiro de negócios e moveu o império de Los Angeles para Vegas e então para a República Dominicana, onde apostas são ilegais. Enquanto ela se torna uma top model e magnata das apostas por lá, sua existência se desenvolve em um pesadelo de encarceramento e estupro, antes de finalmente conseguir escapar. Ela agora vive na Suíça.

O presidente da Bold Films, Michel Litvak: “Estamos incrivelmente animados de trabalhar com a atriz indicada ao Oscar, Margot Robbie, nesse momento de sua carreira. Ela fará um trabalho incrível em trazer essa emocionante história real e personagem fascinante para a vida.”

O diretor executivo da Bold Films, Gary Michael Walters, disse: “É uma ótima personagem, é a versão feminina de Scarface na ascensão dessa ótima operação criminal na liderança de uma mulher muito inteligente. Margot Robbie é uma atriz extraordinária e não poderia estar mais quente agora. Ela é muito versátil e forte com comédia, drama e ação – ela realmente é o pacote completo, e isso é raro. Ela construiu uma ótima produtora com a LuckyChap.”

Esse tipo de filme independente na faixa orçamentária de 25-35 milhões de dólares são o ponto forte da Bold, e há um forte apetite por essa tarifa no mercado independente atual. O padrão de filmes de Robbie arrecadou perto de 1,9 bilhões na bilheteria mundial.

“Estamos construindo a LuckyChap com uma paixão por contar histórias de mulheres que são originais, únicas e rebeldes em sua natureza,” disse a LuckyChap Entertainment. “Nós encontramos tudo isso na história da Marisa e não poderíamos estar mais animados pela parceria com a Bold Films e 360 para levar Dangerous Odds para as telas.”

Os presidentes da LuckyChap, Robbie, Tom Ackerley e Josey McNamara irão produzir ao lado de Litvak e Jon Oakes da Bold Films e Ben Forkner da Management 360.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie conversou com o site australiano With Her Mind e falou sobre I, Tonya e um pouco da sua vida de pessoal como esposa e irmã. Confira:

Cabelo preso em um rabo de cavalo e o rosto livre de maquiagem, Margot Robbie, 27 anos, entra no restaurante italiano em Atlanta onde combinamos de nos encontrar.

Ela terminou os últimos dias de filmagens de I, Tonya e está vestida em calças de moletom e uma camiseta, toda a evidência da patinadora deixada para trás.

Ela puxa uma cadeira e ri enquanto diz, “Eu definitivamente subestimei o quão difícil é a patinação no gelo como um esporte.” Ela balança a cabeça enfaticamente.

“Me deu muito respeito e admiração por patinadores, mas especialmente, o que Tonya Harding fez, o triple axel. Agora eu entendo o enorme feito de atletismo que é.” Ela ri. “Nós não conseguimos nem uma dublê porque ninguém consegue fazer.”

Evidentemente, todos os meses de treinamento valeram a pena porque nós a encontramos de novo no tapete vermelho do Golden Globes, onde ela está indicada por sua interpretação de Harding.

Dentro da cerimônia, ela não está sentada com seu marido, Tom Ackerley (que produziu o filme), e sim ao lado de Tonya Harding. Evidentemente, o que ela me disse alguns meses atrás, como parte da aprovação da atleta incompreendida, era completamente sincero.

Harding se tornou uma famosa vilã no mundo dos esportes quando foi acusada de planejar o ataque na também patinadora Nancy Kerrigan durante o Campeonato Americano de 1994. I, Tonya mostra um outro lado da história.

“Tonya é durona,” ela explicou. “Muito durona e resistente. Ela nunca se fez de vítima, e eu acho que ela não se classificaria desse jeito, apesar de definitivamente ter sido vítima da mídia. O mundo lembra dela como uma manchete. Eles esqueceram do atletismo e tudo mais sobre ela e ela foi rotulada como monstro.”

Um grande aspecto do filme foi a natureza violenta de seus relacionamentos com sua mãe (Allison Janney) e com seu marido Jeff Gillooly (Sebastian Stan). O casamento durou de 1990 a 1993.

“Há muitas cenas entre Tonya e Jeff onde obviamente eles estão brigando e ela revida os tapas. Craig Gillespie disse que era importante mostrar que ela também era boa no que estava recebendo,” ela diz. “Como nossa história mostra, as versões de Tonya e Jeff sobre os eventos são diferentes.”

Como Harding e Gillooly, Robbie e Ackerley também possuem um relacionamento onde trabalham juntos. Mas a comparação acaba aí. Ela ri. “Bom, sim. Felizmente, nosso relacionamento não parece com o deles. Em nada.”

Robbie também co-produziu o filme com Ackerley, então eles levavam trabalho para casa todos os dias. O casal se conheceu no set de Suíte Francesa em 2013 quando ele era um assistente de direção.

Apesar do tempo excessivo que eles passam juntos, ela diz, “Nós não brigamos. Eu sei que isso soa estranho, mas nós não somos pessoas de conflito. Não precisamos gritar um com o outro para saber que nos amamos. Então, é muito calmo em nossa casa,” ela balança a cabeça. “Nós nos damos muito bem.”

O casal recentemente se mudou de Londres para Los Angeles, onde eles moram atualmente. Com um ano de casamento recém completados, ela diz, “Eu sou muito grata de estar casada e muito emocionada com isso. Eu sou muito grata pela posição em que me encontro.” Ela pausa. “Desculpa, mas eu não quero falar muito sobre isso.”

Ela pode ficar calada sobre o casamento, mas ela está muito mais animada para falar sobre o novo membro da família, um filhote adotado chamado Boo Radley.

“Isso mudou minha vida mais dramaticamente do que qualquer coisa. É o que acontece quando as pessoas tem filhos. Quando você é responsável pela vida de outra pessoa, você se torna menos egoísta sobre a sua. Eu definitivamente não chego mais tarde em casa e se eu estou bebendo com meus amigos, eu fico tipo, ‘Oh, não posso. Eu tenho que ir para casa e alimentar meu cachorro porque ele ficou sozinho por quatro horas.”

“Então, eu sou muito mais responsável agora como pessoa porque eu tenho que ficar atenta ao meu horário baseado no meu cachorro. Tem sido bom para mim. É uma coisa boa para o Tom, também. Nós dormimos cedo agora.”

Robbie posou no tapete vermelho do Golden Globes de preto em solidariedade aos movimentos #MeToo e Time’s Up. Eu me pergunto o que acontece na casa Robbie/Ackerley antes de um evento de tapete vermelho?

Ela ri. “Bom, nós não posamos juntos no tapete vermelho. Nós não fazemos um desfile antes para saber o que iremos vestir. Minha estilista escolhe o que vou vestir. É divertido me arrumar para um evento algumas vezes no ano.”

Para interpretar a grossa Harding, Robbie precisou deixar de lado seu visual deslumbrante. Claro, ela não é a primeira loira bonita a fazer isso (Charlize Theron fez o mesmo em Monster, em 2003, e saiu com todos os prêmios daquela temporada), e em seguida ela irá desaparecer novamente, dessa vez como a Rainha Elizabeth I em Mary, Queen of Scots. O filme é sobre as tentativas sem sucesso da Rainha da Escócia (Saoirse Ronan) para tirar Elizabeth I da Coroa Inglesa. Como outra monarca realmente memorável, Robbie se junta à realeza das ganhadoras do Oscar com Cate Blanchett, Judi Dench e Helen Mirren.

“Foi fascinante ir de Tonya para a Rainha Elizabeth, provavelmente as mulheres mais opostas que você poderia encontrar,” ela insiste. Certamente, interpretar essa monarca bem documentada deve ter sido intimidante. “Bom, eu fiz a minha própria Rainha Elizabeth. Eu não quis ver a versão de outras pessoas e eu criei uma nova personagem. O filme explora a irmandade entre Mary e Elizabeth.”

Como Robbie é com sua irmã, Anya?

“Minha irmã e eu somos totalmente opostas. Ela é contadora. Ela tem pele branca enquanto eu estou sempre bronzeada. Ela é um pouco limitada enquanto eu sou mais ampla. Ela gosta de ficar no quarto lendo livros e eu gosto de estar sempre do lado de fora falando com as pessoas,” ela ri.

Apesar de sermos diferentes, no final do dia, nós somos irmãs e somos destinadas a isso. E é engraçado ver que mesmo com a mesma educação, na mesma casa, mesmos pais e mesmos irmãos, nós somos pessoas totalmente diferentes. Mas somos família e eu a amo mais do que tudo.”

Família é obviamente muito importante para Robbie e ela volta para a Austrália em cada oportunidade.

“Eu amo ir para casa, fazer coisas normais e ter conversas normais. Eu sou muito grata pela educação que eu tive fora de Hollywood.” Ela sorri. “Eles achavam que minha atuação era um hobby e sempre me perguntavam quando eu ia conseguir um trabalho de verdade.” Ela ri.

“Eles só mudaram de ideia quando eu os levei até Nova York e mostrei uma foto minha na Times Square. Eu disse, ‘Escutem, eu provavelmente não vou para a faculdade. Eu não vou conseguir um trabalho diferente. Esse é o meu trabalho de verdade e eu sou muito, muito sortuda.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil