Margot e I, Tonya foram indicados ao Satellite Awards como Melhor Atriz e Melhor Filme respectivamente. A premiação acontece no dia 10 de fevereiro. Confira:

Motion Picture
“Dunkirk”
“The Shape of Water
“Get Out”
“Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”
“Lady Bird”
“The Big Sick”
“I, Tonya”
“God’s Own Country”
“Call Me by Your Name”
“Mudbound”

Performance by an Actress in a Motion Picture
Emma Stone, “Battle of the Sexes”
Judi Dench, “Victoria & Abdul”
Frances McDormand, “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”
Sally Hawkins, “The Shape of Water”
Diane Kruger, “In the Fade”
Margot Robbie, “I, Tonya”
Saoirse Ronan, “Lady Bird”
Jessica Chastain, “Molly’s Game”

Fonte

De acordo com o site Deadline, uma nova série animada da Harley Quinn está sendo desenvolvida pela Warner Bros. e pela DC Comics e a Margot está no topo da lista de atrizes para dublar a personagem. Confira:

Harley Quinn, a personagem bem sucedida do filme Esquadrão Suicida, da Warner Bros/DC, já está com um filme solo e agora ganhará sua própria série animada para a TV. A plataforma iminente de streaming da Warner Bros. solicitou 26 episódios de meia hora de uma série animada de ação/comédia da Harley Quinn, dos produtores executivos de Powerless, Justin Halpern & Patrick Schumacker e Dean Lorey da Warner Bros. Animation.

Harley Quinn é muito associada com Margot Robbie, cuja interpretação da psiquiatra que se apaixona pelo Coringa foi um ponto brilhante em Esquadrão Suicida. Eu escutei que Robbie está no topo da lista da Warner Bros. de atrizes para dublar a personagem na série animada, e esperam abordá-la para o trabalho.

Harley Quinn – que também incluirá Poison Ivy e um grande elenco de heróis e vilões, novos e antigos, do Universo DC – é a terceira série a ter sinal verde para a nova plataforma da DC, juntando-se ao live-action Titans e o revival da série animada Justiça Jovem.

Escrita e produzida por Halpern, Schumacker e Lorey, a série, baseada nos personagens da DC, foca em Harley Quinn, que finalmente terminou com o Coringa de uma vez por todas tenta ser a Rainha de Gotham City por conta própria.

O projeto ainda está em andamento.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Antes de receber seu prêmio e homenagem no ELLE Women in Hollywood Awards, Margot escreveu uma carta aberta para Hollywood inspirada no filme O Clube dos Cinco e ao invés de fazer um discurso, ela leu a carta para todos no evento. Leia a tradução abaixo:

Querida Hollywood,

Nós aceitamos que tivemos que sacrificar uma semana inteira em pé e defendendo nossos direitos como mulheres. Mas nós achamos que vocês são loucos de nos fazer escrever uma redação dizendo a vocês quem nós pensamos que somos quando você ainda nos vê como você quer: nos termos mais simples e nas definições mais convenientes.

Ser uma mulher em Hollywood significa que você provavelmente terá que lutar em situações degradantes e será oferecida papéis sexistas por homens que pensam que isso é tudo o que o público quer nos ver interpretar. Mas mesmo aquelas de nós que são sortudas o bastante para estabilizar uma carreira no chão sagrado do show business ainda estão vivendo na sombra das grande árvores, sendo lembradas constantemente que nós só crescemos no sol porque elas permitem. Essas dificuldades que enfrentamos são para compartilhar o mesmo espírito daqueles enfrentados por inúmeras mulheres ao redor do mundo que lutam pelo direito de viver, o direito de serem ouvidas, e até o direito de estarem a salvo.

Nos anos recentes, filmes de super herói estão na moda, e eu sei porque fui beneficiada pela tendência. Eu só desejo que nós pudéssemos transferir um pouco desse heroísmo para a realidade. Que aqueles super heróis que admiramos nos filmes nos defendessem dos vilões do governo, do mercado de trabalho, da indústria do entretenimento e até das básicas interações humanas. Há mulheres dentro e fora de Hollywood que provaram essa semana que elas são as verdadeiras heroínas. Sua coragem e bravura para falar a verdade sobre o poder fez um impacto poderoso que pode ser o começo de uma verdadeira mudança. É nossa decisão, e aquelas de nós que tem uma plataforma e podem usar por aquelas no mundo que agora podem ter. O que significa que, não só podemos destacar as igualdades dolorosas, mas podemos continuar a falar enquanto elas existirem. E nós podemos continuar chamando atenção para a injustiça onde quer que encontremos e usar nossos talentos, intelecto e privilégio para ajudar um novo capítulo de mulheres, um novo capítulo para todos nós.

Então, pensando em ser uma mulher em Hollywood me lembrou que quando você tira Hollywood, somos todas apenas mulheres, todas enfrentando as desigualdades que ser mulher nos traz. E, o que eu entendi é que, apesar de sermos únicas e poderosas individualmente, nós somos invencíveis quando estamos juntas. Então, alguns podem nos ver como objetos ou outros indivíduos, mas nunca como um igual. Mas, nas palavras de O Clube dos Cinco, cada uma de nós é um cérebro, uma atleta, um caso perdido, uma princesa e uma criminosa. Isso responde a sua pergunta?

Sinceramente, O Clube das Garotas.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie teve que pegar o papel no filme “Goodbye Christopher Robin” porque ela amou o Ursinho Pooh durante toda sua vida.

A bela australiana de 27 anos retrata Daphne de Sélincourt, esposa de A.A Milne, no filme sobre como o autor inglês criou histórias sobre o amado urso Winnie a partir de conversas com seu filho Christopher.

Margot sempre amou os personagens – que foram mais popularizados pelas adaptações dos desenhos animados da Disney – e tem seu próprio Ursinho Pooh e Tigão na casa de sua mãe.

Falando exclusivamente para BANG Showbiz na estréia mundial de ‘Goodbye Christopher Robin’ no Leicester Square de Londres, na noite de quarta-feira (20/09), Margot disse:

“Sim, eu tenho o meu próprio Ursinho Pooh e o Tigrão. Eles ainda estão na Austrália na casa da minha mãe. As histórias do Pooh são simplesmente lindas. Sempre amei os livros, filmes e brinquedos. É fantástico”.

De todos os diferentes personagens apresentados nos livros de A.A Milne, Margot admitiu que ela provavelmente pensa que ela é mais como Kanga, o canguru, porque ela é australiana, mas seu favorito é o Leitão. Ela disse:

“Quem mais eu sou? Não sei! Quem eu mais acho que sou alguém provavelmente não seria. Eu direi Kanga porque sou australiana, mas meu personagem favorito é o Leitão”.

Margot estrela ao lado do ator irlandês Domhnall Gleeson, que interpreta Milne, e a bela e loira gostava de lidar com seu alter ego porque ela era “complicada” e era a mais “realista” das mulheres que ela realmente conhecia.

“Daphne é uma pessoa complicada. Eu também gostei muito dela. É muito mais divertido interpretar uma personagem complicada do que uma simples. Ela tinha tantas visões fortes e era só mais realista que as mulheres que conheço. Somos complicadas. Quando penso em todas as mulheres que conheço na minha vida, elas são todas diferentes e têm características diferentes. É meio divertido interpretar essas personagens. Como mulheres, temos opiniões contraditórias”.

 

Fonte | Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil