siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!
04.12.16
Margot conversa sobre beleza e muito mais com a W Magazine

Margot continua com a divulgação do perfume Deep Euphoria da Calvin Klein e dessa vez a entrevista foi para a W Magazine! A atriz além de falar sobre sua beleza, também nos dá as primeiras informações sobre seu próximo projeto, I, Tonya. Confira:

Eu te vi no telão do Madison Square Garden ontem à noite.
Você estava no jogo do Rangers?

Não, meu marido estava assistindo. Ele disse, “Querida, ali está Margot Robbie.” E eu pensei, boa abertura…
Sempre que vamos em um jogo, no começo, meu agente sempre me lembra, “Você sabe que eles te fotografam durante o jogo, então lembre disso.” Então, eu fico tipo, “Fica calma, está tudo bem.” Isso dura nos primeiros dois períodos, mas no terceiro, eu fico tipo “ARGH!” Eu fico muito envolvida. Então eu vi as fotos hoje, e pensei, “Estou parecendo uma psicopata. Ótimo.”

Mas você é uma grande fã de hockey e joga na direita?

Sim. Eu não quero te enganar fazendo você pensar que sou boa no hockey no gelo. Eu sou terrível, mas eu realmente gosto.

Como você passou a gostar?
Eu sempre quis jogar quando eu era criança, mas eu cresci em Gold Coast, que é um lugar super tropical na Austrália, e não havia hockey no gelo então eu jogava hockey de campo. Então eu me mudei para a América, eu me juntei a uma liga mas eu não sabia patinar no gelo. Eu basicamente corria no gelo, mas eu tinha tanto estofamento que não importava. Você não conseguia se machucar se tentasse, pelo menos não em uma liga amadora. Mas eu amo; é super divertido. Mas assim que sou contratada para um emprego, eu não posso mais jogar porque por segurança, você não pode patinar. Quando eu fui contratada para ‘Pan Am’, eu não podia jogar, mas quando terminei eu podia. Então eu consegui ‘Wolf of Wall Street’, então eu estava sob contrato novamente. Se você tem sorte o bastante de estar trabalhando, você realmente só tem pequenos espaços quando você não está sendo requerido para nada. Então você não pode saltar de pára-quedas ou qualquer coisa que possa te machucar.

Então você está jogando agora, ou está sob contrato?

Bom, é engraçado, estou treinando no momento para ser Tonya Harding, então estou aprendendo a patinar. E eles ficaram tipo, “Então, você vai ser boa, certo? Porque você joga hockey no gelo.” E eu tive que contar a eles que eu não era muito boa, e que os patins são totalmente diferentes. E agora eu percebo enquanto estou tentando aprender que, uau, eu nunca patinei. Eu só corria no gelo e batia nas barreiras. Eu realmente não sabia como parar; eu só sabia arrancar. E agora eu não tenho mais todo o enchimento, é mais assustador então eu tenho que ser mais cuidadosa ao aprender. Você tenta ser mais técnico. Eu também estou produzindo, então nós temos sido uma maior parte do filme do que se eu estivesse somente atuando. Começamos a filmar em janeiro.

Você era obcecada com a história dos Harding-Kerrigan como a maioria dos americanos?
Eu realmente não sabia da história. Eu tinha apenas quatro anos em 1994, quando o incidente aconteceu, e nós não assistíamos TV, então eu fiquei por fora. Mas todo mundo me diz que eram obcecados pela história. Quando eu li o roteiro, eu nem sabia que era verdade. Então eu comecei a pesquisar.

Você a conheceu?
Ainda não, mas eu irei. Ela deu seus direitos de vida, então ela sabe sobre o projeto. Eu não sei se ela leu essa versão do roteiro, mas é baseado em uma entrevista que ela deu, então ela basicamente sabe de tudo o que disse e como a história vai ser. Então ao terminar meu último trabalho, que foi o projeto de A. A. Milne em Londres, que eu finalizei no Halloween, tudo o que eu tenho é novembro e dezembro para treinar e eu acabei de começar e é muito difícil. Muito, muito, muito, muito difícil. Espero que eu esteja boa o bastante a tempo.

Quem está te treinando?
Uma mulher chamada Sarah Kawahara. Ela fez a coreografia de outros filmes, como “Escorregando para a Glória”, e coreografou Nancy Kerrigan antigamente.

Que ironia.
Ela estava nesse mundo quando tudo aconteceu. Ela se fixou na indústria da patinação. Ela é muito, muito boa, mas eu claramente sou um projeto desafiante para ela. Ela costumava trabalhar com patinadores brilhantes, e eu sou tipo, “Como eu vou pra trás mesmo?” Mas eu consegui ir para trás trocando de lado, então estou animada com isso. Eu queria ter aprendido quando criança. Aprender aos 26 é completamente diferente.

Eu acho que essa é a verdade de todo esporte, porque você tem medo, seu centro de gravidade é menor.
Nada machuca mais. Você se recupera rapidamente. Mas é o medo. É a coisa mais difícil. Eu estou tentando ser mais aberta, mas eu fico, “Eu entendo tudo o que você me dizendo para fazer, mas meu corpo está me dizendo para NÃO me inclinar para o gelo porque eu vou me machucar.”

Mas você tem uma afinidade por velocidade?
Eu tenho, como quando eu jogava hockey, eu ia o mais rápido possível. Mas isso quando eu tinha todo o enchimento. Agora que eu não tenho, meus joelhos começam a tremer e eu fico muito nervosa. É o choque do impacto que é mais confrontante do que o impacto real.

Talvez sua treinadora só precisa dizer que você está bem! Então, me diga sobre a filmagem do anúncio de Deep Euphoria com Francis Lawrence.

Foi ótimo trabalhar com ele porque ele é um diretor de filme que trabalha com atores o tempo todo. Foi melhor do que se eu fizesse uma filmagem para a moda, o que é raro, eu me sentiria estranha e fora do meu elemento porque eu nunca fui modelo. É um talento. Quando estávamos fazendo uma sessão de foto para promover Esquadrão Suicida, eu assistia como Cara [Delevingne] trabalha. Ela consegue fazer imediatamente, ela sabe seus ângulos, ela consegue fazer todos os looks sem muito esforço. E quando você assiste um ator fazer isso, você fica tipo… Não é a mesma coisa. É estar fora do seu ambiente. Quando eu entro em um set de filmagem, me sinto em casa, me sinto confiante fazendo o que estou fazendo. Eu sei o trabalho de cada um e onde todos os equipamentos estão e tudo o que está acontecendo. Eu sinto que eu pertenço a este lugar.

Vamos falar sobre a fragrância. O que você mais ama sobre ela?
Eu amo que eu realmente gosto de usar, então eu não preciso mentir quando eu dou entrevistas sobre ela! Essa é sempre minha maior preocupação sempre que alguma oportunidade de apoio aparece. Eu não iria querer me sentir como uma fraude, sentada aqui, contando para as pessoas que isso é o que eu uso quando eu não uso. E então isso apareceu. Eu amo a Calvin Klein, sempre amei. As mulheres em minha família usam os perfumes da Calvin Klein. É algo que eu verdadeiramente posso falar sobre. Então é perfeito. É a oportunidade que estive esperando. E então eu senti o perfume!

E…?
Eles nunca disseram, “Você precisa usar” ou qualquer coisa do tipo, mas eles me deram um frasco para levar para casa, e eu continuei usando e se tornou meu perfume. E então eu usei para uma das minhas personagens que interpretei esse ano. Eu escolho um perfume para todas minhas personagens.

Sério?
Sim, eu acho que ajuda muito. Eu comecei a perguntar para outros atores se ele também isso e alguns fazem.

O que você usou para Esquadrão Suicida?
Eu comprei um dos mais bregas que consegui achar em uma farmácia. Era completamente doce, realmente muito dominante e vinha em um frasco de caveira. Eu disse, “É isso, é perfeito.”

O que você usou para Wolf of Wall Street?
Para Wolf eu usei esse perfume que eu tinha. Os homens sempre comentavam sobre ele, mulheres não. Homens. Por alguma razão, isso fazia sentido para eles, então foi o que usei.

Big Short?
Eu estava na banheira, então eu não usei perfume.

Você também estava sendo você mesma.
Sim, então eu realmente não tinha um personagem para perfumar.

Quais perfumes da Calvin Klein sua família usa?
Quatro mulheres da minha família usavam Calvin. Minha mãe usava CK1. Algumas gostavam de Obsession. Mes usava Obsession.

Quem é Mes?
Minha tia Mary Ann. É engraçado, todas as mulheres da minha família tem um perfume Calvin.

E agora você tem um, também! Você se lembra da primeira fragrância que você usou e como você conseguiu ela?
Meu primeiro namorado comprou meu primeiro perfume e eu nunca tinha tido um perfume próprio antes.

E quantos anos você tinha?
Eu tinha 17, então eu me senti muito adulta ao ter meu próprio perfume. Eu economizada e só usava em ocasiões super, super, super especiais. Então três anos depois, eu comecei a ganhar algum dinheiro então eu podia comprar meus próprios perfumes e eu fiquei tipo, “Eu nunca usei esse perfume. Está completamente cheio e agora provavelmente desperdiçado.”

Como era o cheiro?
Eu nem me lembro! Eu quase não usei!

Quem colore o seu cabelo?
Alguém diferente toda vez, e geralmente é no set de filmagens, então acaba sendo qualquer pessoa que esteja trabalhando no departamento de cabelos.

Cor e corte?
Sim. Eu costumava cortar meu próprio cabelo. Na verdade, eu passei por uma fase gótica onde eu só cortava meu cabelo com lâmina de barbear. Eu era muito idiota. E agora eu quase não consigo manter meu cabelo na cabeça porque alguém está colorindo o tempo todo, sobrecarregando de produtos. E, ao pensar, eu usava lâmina no meu cabelo! Que idiota! Eu faria qualquer coisa para ter cabelo saudável novamente.

Seu cabelo parece ótimo.
Tem cabelo falso aqui. Eles colocam extensões. Eu morreria sem extensões.

Por favor, me diga que isso não está fora do registro…
Oh, você pode incluir. Eu não ligo.

Que produtos de beleza estão sempre na sua bolsa?
Lip Balm da Burt’s Bees. Sou obcecada. Eu uso para dar um pouco de cor aos meus lábios.

Qual cor?
Rosa. E então eu uso, isso vai soar estranho, mas o que eu sempre usei em toda minha vida como lip balm foi Bepanthol. É um creme para mamilos. É um antisséptico. Eu sempre usei como lip balm e meus amigos sempre sabem que eu tenho. Eles ficam tipo, “Creme para mamilos?” “Sim, creme para mamilos.” Obviamente é confuso para outras pessoas, elas ficam tipo, “Você está colocando creme para mamilos nos seus lábios?” Longa história…

Com o que você está obcecada atualmente?
“Fleabag!” Você já ouviu falar? Oh meu Deus, você tem que assistir. É da BBC1, mas eu acho que a Amazon comprou. É essa atriz de comédia que criou o show e ela é engraçada pra caralho. Ela respira a quarta parede o tempo todo. É uma versão não muito doce de como as mulheres falam. É hilário. É muito obscuro, mas muito engraçado.

postado por Mari na categoria Calvin Klein