siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!
04.01.18
Margot Robbie e Tonya Harding são capa e recheio da revista do site The Hollywood Reporter

Estamos chegando perto do grande dia do Golden Globes e o The Hollywood Reporter lançou sua edição especial do evento com Margot Robbie e Tonya Harding na capa da revista. As duas participam de uma entrevista onde Tonya fala sobre sua vida atual e o filme. Confira:

Margot Robbie esperou até o começo das filmagens para que ela e o diretor Craig Gillespie fossem até Portland para almoçar com a mulher que ela estava prestes a interpretar. Seu segundo encontro aconteceu quase um ano depois, quando Tonya Harding se juntou a Robbie no tapete vermelho da premiere de I, Tonya em Hollywood. No dia seguinte, 6 de dezembro, Robbie sentou com Harding, 47, para uma conversa sobre a vida atual da patinadora com seu atual marido, Joe, um especialista em aquecedor e ar condicionado, e seu filho de 6 anos, Gordon, assim como os altos e baixos dos seus dias no gelo.

Enquanto Robbie trocava de papel entre entrevistadora e entrevistada, Harding falou abertamente sobre seu relacionamento tenso com seu ex Jeff Gillooly, que passou seis meses na prisão após a agressão em Nancy Kerrigan em 1994, e sua mãe, com quem ela não mantém contato desde o começo de 2000. Em um momento da conversa de uma hora, a qual a antiga competidora revelou que ela está de volta aos treinamentos (ela irá patinar em uma exibição no Rockefeller Center no fim de janeiro), Harding agradeceu Robbie com lágrimas nos olhos não somente por contar sua história, mas por também dar uma conclusão.

MARGOT ROBBIE: Quando Steven Rogers, roteirista de I, Tonya, falou com você sobre o projeto, você ficou chocada? Hesitante?
TONYA HARDING:
Eu fiquei grata que ele veio até nós primeiramente, mas eu não ia fazer. Eu fiquei tipo, “Eu não quero passar por isso de novo. Eu já passei pelo suficiente, e eu tenho meu filho agora.” Michael Rosenberg, meu agente, me convenceu a fazer isso como uma possível conclusão. Eu fiquei tão nervosa para assistir, mas quando eu vi, eu não estava assistindo um filme sobre mim. Eu estava assistindo a Margot, e então eu fiquei, “Oh meu Deus. Isso é sobre mim.”

Vocês duas se conheceram em um almoço antes das filmagens. Quais foram suas primeiras impressões?
ROBBIE: Eu não sei se você lembra, mas eu estava falando sobre como a parte da patinação era muito difícil, e você disse, “Você está com seus patins? Nós podemos ir até esse rinque, eu posso treinar você.” E também, você perguntou como era lidar com a fama em uma idade tão jovem, o que eu achei muito gentil. Eu fiquei tipo, “Eu não acredito que ela está preocupada comigo.”
HARDING: Quando eu a vi, eu fiquei tipo, “Oh meu Deus, ela é tão bonita. Obrigada, Deus!” (Risos) E eu não esperava que você fosse tão gentil e acessível comigo porque eu aguentei muito desrespeito durante minha vida. Eu não desejo nem que meu pior inimigo passe por qualquer coisa que eu passei.

Margot, o que você estava esperando conseguir nesse encontro?
ROBBIE
: A principal coisa sobre encontrá-la era para que eu pudesse dizer, “Eu estou interpretando uma personagem, não é você. A personagem e a Tonya da vida real, na minha mente, são totalmente diferentes,” e eu queria que ela soubesse disso para que eu pudesse ter mais liberdade no set para realmente abordar essa personagem.

Você tem uma fala favorita no filme?
HARDING
: É claro. Aquela que eu não posso repetir.
ROBBIE: É quando estou gritando com os jurados?
HARDING: Sim.
ROBBIE: Eu não ligo de repetir. Eu digo, “Chupa o meu p*u,” para os jurados, e é uma das poucas coisas que você não disse na vida real.
HARDING: Eu queria ter dito isso.

Como foi ver pessoas da sua vida serem interpretadas por Allison Janney ou Sebastian Stan?
HARDING: A primeira vez que eu vi Sebastian gritar no filme, isso me levou completamente de volta para as vezes que isso aconteceu, e aconteceu muitas vezes. Mas Allison Janney, uau, ela não poderia ter feito melhor a minha mãe. E foi hilário. A única coisa que a minha mãe não fazia era fumar no gelo.
ROBBIE: Sim, era a fala favorita do Steven no roteiro. Diane [treinadora de Harding] dizendo, “Você não pode fumar no gelo,” e a mãe dela dizendo, “Bom, vou fumar silenciosamente.”
ROBBIE: Uma das coisas que eu acho que nenhum de nós percebeu foi o quão difícil é fazer o triple axel.
HARDING: Eu fui a primeira americana a conseguir. Vocês não tem isso no filme, mas um jurado no campeonato de 1991 me deu 6.0. Todas as notas tinham sido 5.9, mas eu consegui um 6.0 e foi como eu ganhei. Eles colocaram todos os jurados em uma sala, e esse jurado teve que explicar por que ele me deu o primeiro lugar ao invés de Kristi Yamaguchi, que caiu e perdeu outro salto, então isso mostrou a preferência. E eu tinha feito tudo do jeito deles. Eu usei o vestido bonito, coloquei a música para eles, e então eu me divertir no final.
ROBBIE: Eu ficava pensando, é uma pena que todas suas conquistas atléticas tenham sido ofuscadas pelo o que aconteceu em 1994.
HARDING: Bom, tudo mudou em 1991. [A partir de 1992, Harding nunca mais conseguiu fazer um triple axel em competição.] Eu descobri isso depois, mas quando eu me separei do Jeff, eu tinha todas as minhas coisas e minha casa e no fim de outubro, meu apartamento tinha sido invadido.
ROBBIE: Você foi roubada?
HARDING: Tudo dentro do meu apartamento tinha sido destruído, havia buracos de faca nos meus sofás e na minha cama d’água. E a cama era em cima, então estava tudo inundado.
ROBBIE: Você suspeita do Jeff?
HARDING: Oh, foi o Jeff.
ROBBIE: Isso mostra o quão tumultuoso era esse relacionamento. Eu achei emocionalmente traumático me colocar no lugar de alguém que está em um relacionamento abusivo.
HARDING: É uma coisa que acontece todos os dias.
ROBBIE: E você quase se acostuma.
HARDING: Me disseram que eu era gorda, feia e que nunca chegaria em lugar nenhum.

Tonya, o que você queria fazer se patinar não fosse uma opção?
HARDING: Eu queria cavalgar ou guarda-parque.
ROBBIE: E agora? Você tem um trabalho?
HARDING: Estou olhando pra ele. Você é meu trabalho. E eu sou mãe. [Por meio de um porta-voz de Harding, ela recebeu uma taxa mais uma porcentagem dos lucros do filme por seu direito de vida. Ela também faz paisagismo e constroi decks.]

Você ainda patina?
HARDING
: Toda semana. Temos um rinque há 50 minutos da minha casa. Me faz me sentir viva. Se eu não estivesse com dor na maior parte do tempo em que estou patinando, eu passaria mais tempo lá. Mas eu vou voltar a fazer meus saltos triplos. Eu sei que quando eu conseguir fazer, eu vou ficar, “Oh sim, é esse o sentimento.”
ROBBIE: Como é um dia normal agora?
HARDING: Eu acordo às 7 da manhã e acordo meu filho às 7:30. Ele gosta de achocolatado, e ele ama panquecas, mas eu não sei fazer panquecas.
ROBBIE: Sem julgamentos, eu sou péssima na cozinha. E então você leva ele para a escola?
HARDING: Sim, ou se é um dos dias que eu vou para o rinque, então o Joe o leva para a escola. No verão, eu estou sempre trabalhando no jardim. Eu amo paisagismo, trabalhar nos carros, cortar madeira. Eu gosto de construir coisas, também, e eu ainda estou tirando umas coisas que ficaram em caixas por anos. Eu tirei meus troféus e medalhas, e as pendurei, mas metade foi roubada ou quebrada. Então meu filho sai da escola, e um de nós vai buscá-lo e assistimos desenhos ou jogamos Minecraft ou DinoCraft, e então é jantar e cama.
ROBBIE: Você ainda acompanha o esporte? Você vai assistir as Olimpíadas em fevereiro?
HARDING: De vez em quando. Eu tenho que saber quem vai competir e se vale a pena assistir ou se vai ser a mesma velha política.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Entrevistas