A estreia de Bombshell em Los Angeles foi repleta de estrelas, incluindo as três principais do filme: Margot Robbie, Charlize Theron e Nicole Kidman. Confira abaixo fotos da noite:

Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie fazem um trio poderoso na tela e, com seu mais recente filme Bombshell, as atrizes ganhadoras de vários prêmios reconhecem o potencial da obra de fazer mudanças sociais reais fora da tela.

“Até então, a resposta do filme tem sido incrível. Eu estava esperando que seria impactante desse jeito,” Robbie disse para a Variety na premiere do filme em Los Angeles. “Eu realmente não estava esperando que muitos homens se identificassem, o que é incrível, realmente.”

“Nós falamos muito sobre isso porque assédio sexual não é um problema para as mulheres resolverem. Temos que resolver juntos,” ela continuou. “Eu só posso imaginar que cada cara por aí tem uma filha, uma esposa, uma mãe, uma amiga, uma namorada. Eles não querem que elas existam em um mundo onde não é seguro irem trabalhar. Ninguém quer isso. Vamos resolver isso juntos, eu espero.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Em um artigo sobre as visitas ao set de Aves de Rapina, o site ComicBook.com relatou sobre a classificação para maiores do filme e o que podemos esperar deu ma cena. ATENÇÃO: Contém spoilers!

”Estamos fodidas,” Renee Montoya declara no meio da noite. Todas as gangues intimidantes de Gotham estão se aproximando. Harley Quinn, que parou de esfaquear repetidamente um cadáver para olhar pela janela, está rodeada de sua gangue de garotas: Canário Negro, Caçadora e Cass. Enquanto Montoya está aqui para ter certeza que a justiça será feita, Harley – que acabou de perceber que a lei só protege as pessoas ricas e privilegiadas – não está pronta para obedecer porque ela só acredita em uma coisa: ”salada de repolho.”

Essa é a cena em uma sala mal iluminada no telhado de um parque de diversões de um vilão (conhecida como Booby Trap) no set de Aves de Rapina. O filme (que parece estar obviamente abraçando completamente a classificação para maiores dadas as 16 palavras com F que foram usadas em apenas uma cena onde as mulheres são encurraladas pelas gangues de Gotham) está voltando para as raízes da Harley Quinn. Isso certamente significa que terá referências aos quadrinhos e ao filme de Esquadrão Suicida antes desse, mas parece que Aves de Rapina vai voltar ainda mais. O filme é tão excêntrico e louco, que suas raízes parecem ser na primeira aparição da Harley Quinn em Batman: A Série Animada e outros desenhos.

O filme é tão louco que a Harley vai ter uma hiena de estimação chamada Bruce e jogar bombas de piñata, que, no set, são bolas de queimada enroladas em fios e doces. O diálogo da personagem foi preenchido com um toque extra de insanidade, brincando sobre ser ”mergulhada em um tanque de produtos químicos para ficar mais sedosa,” antes de ser chamada de ”escrota” pela Renee Montoya de Rosie Perez.

Enquanto os produtores prometem somente ”migalhas” dos laços com o mundo extenso da DC que já foi estabelecido nas telas, há várias iscas para manter os fãs hardcore da DC Comics interessados. Falas sutis fazem referência ao ”massacre Bertinelli” em uma referência a um passado maior para a Caçadora de Mary Elizabeth Winstead (uma personagem que dizem ser uma ”porra de uma assassina com uma besta” em um ponto na cena) parece provocar espaço para a expansão que Robbie espera ver no fim da linha.

Dada a linguagem usada na cena combinada com a facada incessante no cadáver, parece que Aves de Rapina não tem escolha a não ser abraçar a classificação para maiores no lançamento. A palavra com F está literalmente escrita em um cenário e é usada 16 vezes em uma única cena durante a visita no set. O número de usos do infame palavrão variou à medida que os membros do elenco percorreram a cena várias vezes, mas o sucesso de filmes anteriores de quadrinhos para maiores pode ter aberto o caminho para Aves testar seus limites.

Tudo considerado, o filme oferece vibrações de Guardiões da Galáxia de classificação para maiores, o que parecia ser uma comparação inevitável. O primeiro filme dos Guardiões reuniu um grupo de heróis improváveis, cada um drasticamente diferente um do outro e relutantes em trabalhar juntos. Aves de Rapina está reunindo algo nesse sentido, embora quando seu corte final for revelado, provavelmente não terá muito mais em comum com o título da Marvel. Não há dúvida de que Aves de Rapina marchará ao ritmo de seu próprio tambor de maneiras interessantes.

”Tem muitas influências no filme. Digo, o jeito como é falado, a estrutura do filme foi um pouco como Pulp Fiction encontra Rashômon,” diz a diretora Cathy Yan. O Profissional, por exemplo, será refletido no relacionamento entre Harley e Cassandra Cain de Ella Jay Basco. ”Eu acho que visualmente fomos muito influenciados por Laranja Mecânica, também.”

No final, Aves de Rapina parece estar em boas mãos, já que Robbie se investiu completamente como Harley Quinn e no mundo da DC como um todo. A atriz transborda conhecimento sobre as origens de sua personagem e, servindo também como produtora, ela se recusa a ver este filme como algo que não seja o que os fãs da personagem, como ela mesma, gostariam de ver.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

No começo do ano, vários jornalistas visitaram o set de Aves de Rapina para conversarem com os produtores e a diretora de Aves de Rapina para saber um pouco mais do filme. Confira a entrevista abaixo:

Você está com muitas funções nesse filme. O que aconteceu nessa história que realmente fez vocês quererem fazer deste o filme da Harley Quinn?
Margot Robbie:
Bom, eu apresentei o conceito primeiramente quando ainda estávamos filmando Esquadrão Suicida, porque eu continuava a pensar que, ”Oh, a Harley se sai muito melhor quando tem pessoas para brincar.” Eu continuei a pensar que na vida real eu tinha um grande grupo de meninas, minha panelinha de amigas, e eu queria que a Harley tivesse esse grupo. Eu queria que ela fizesse parte de um grupo de meninas. E então, obviamente eu li muitos quadrinhos, qualquer coisa envolvendo a Harley, e uma linha separada dos quadrinhos são as Aves de Rapina, que eu comecei a ler. E a Harley não é um membro tradicional das Aves de Rapina, mas era um grupo divertido de entrar e sair, eu suponho.

Nós vimos que a Harley vai ter uma hiena nesse filme. Você falou sobre gostar dos quadrinhos, então com a hiena e tudo mais, quais outros elementos dos quadrinhos que você queria ter certeza de trazer para esse filme?
Sim, eu acho que algumas imagens específicas dos quadrinhos sempre ficaram comigo. Eu não sei o quanto posso contar… Eu posso falar dos patins? Os patins dela, por exemplo, eu fiquei ”Ah!” Alguns visuais eu também disse ”Se pudermos incorporar isso de algum jeito, seria ótimo.” E sim, seus bebês, suas hienas de estimação, B.B., claro. Eu amo como ela tem um grupo de amigos ecléticos, o que eu quis incorporar.

Você pode falar sobre como esse filme é um tipo de emancipação para sua personagem?
Sim, sim. Algo que eu explorei muito em Esquadrão Suicida, o primeiro filme, foi a dependência da Harley com o Coringa, e obviamente ele tem uma grande influência nela. Mas obviamente ela estava em um relacionamento com ele quando a vimos pela primeira vez em Esquadrão Suicida. Eu queria explorar qual versão da Harley teríamos fora de um relacionamento, e se ela sai desse relacionamento em seus próprios termos ou nos termos dele, se ele a chutou para fora de casa. Isso ainda a afeta, mas de um jeito diferente, e eu pensei que veríamos um outro lado de suas personalidades. Personalidades, eu digo, porque eu acho que ela tem várias.

Falando sobre liberdade, mas de um ângulo diferente, a linguagem que estamos ouvindo é um pouco mais adulta do que nos filmes anteriores. Estou curioso sobre esse tipo de abertura e sobre deixar a Harley ir longe na loucura.
Eu sentia que precisava me censurar muito para ficar na classificação para menores, e muitos dos personagens que existem no mundo da DC são, para ser honesta, um pouco obscuros. E muitos deles, como a Caçadora, possuem traumas de infância muito sérios e sérios problemas mentais, como a Harley. Mas eu sinto que algumas vezes não podemos ir tão fundo nessas coisas se você precisa se censurar. E eu pensei, ”Não seria libertador se não tivéssemos que nos preocupar com isso?” E fui em frente, e então mais tarde na edição vamos achar o tom do filme.

Quando se trata de montar sua gangue de garotas, você tem alguns membros das Aves de Rapina, mas também escolheu alguns dos outros personagens legais. O que levou você a gostar de Cass ou Renee Montoya, e como foi a história e construção de sua equipe?
Sim, é um grupo eclético, o que eu amo. Todas possuem uma personalidade diferente e vêm de um ângulo diferente, eu suponho. Você tem a Renee, que a bússola de moral aponta para um caminho bem diferente do da Harley e da Canário. Todas possuem suas próprias regras de ética que elas respeitam, e elas entram em conflito uma com a outra, o que eu sempre acho interessante em um conjunto. Tudo começou com a Caçadora. Eu amo a Caçadora, e no meu conceito inicial da história, disse que queria mantê-la bem contida, nada no nível de fim do mundo. As apostas eram tão altas como talvez nível máfia ou gangue. Foi então que eu comecei a ler muitos quadrinhos da Caçadora, que obviamente vem de uma família mafiosa, e encontrei sua história. E eu sempre me atraio por… Bem, nem sempre, mas geralmente me atraio por uma história de vingança porque é muito direto, mas você está claramente motivado. Então me encontro a bordo dessa mentalidade rapidamente. E, depois da Caçadora, isso se desenvolveu – quais outros membros compensavam sua história de vingança, e a versão da Harley do que é certo e errado. Você precisa de mais personagens morais como a Renee Montoya, precisamos de uma policial. A Canário é obviamente crucial para as Aves de Rapina, e queríamos introduzi-la também. E sobre a Cass, Christina, a roteirista, e eu falamos sobre muitos dos nossos filmes favoritos, e eu queria homenagear algumas coisas e Léon: O Profissional era um deles. Nós amamos o relacionamento – o mentor e a aprendiz, uma amizade inesperada. Nós nos vimos indo nessa direção.

Você é o Léon nessa situação?
Eu sou.

Você pode falar sobre trazer Cathy Yan como diretora desse filme e o que ela está trazendo para Harley e suas novas amigas?
Eu não sei se vocês já falaram com ela ou se já a conheceram, ela é incrível. Eu vi o filme da Cathy, Dead Pigs, que também é um filme de conjunto – eu não sei se o filme já foi lançado, então não sei se todos já viram. O design do filme é deslumbrante. Eu acho que é uma coisa muito difícil fazer um filme de conjunto e dar para todo mundo, com tão pouco espaço na tela, o tempo de entendê-los e de ver seus pontos de vista, e é claro, ver suas histórias entrelaçadas, e isso acontece nesse filme. Nós procuramos por uma diretora que conseguisse fazer isso de um jeito satisfatório e orgânico, e eu vi o que a Cathy fez de modo tão incrível em Dead Pigs, então isso a colocou no nosso radar no começo, mas exploramos muitos diretores diferentes. Eu disse que queria uma diretora se fosse assim, mas é claro, eu não acho que você deva forçar isso, também. No final do dia, acaba sendo quem é a melhor pessoa para o trabalho e nós nos encontramos com diretores homens e mulheres, e Cathy apresentou a melhor ideia. Ela chegou, entendeu a história, elevou as ideias que estávamos trabalhando e as colocou no lugar e é isso que um diretor precisa fazer, pegar o que você tem e elevar para um outro nível, e ela fez isso. Eu lembro de fazer anotações sempre que falávamos com alguém, e a Cathy entrou e a página do meu caderno tinha só um rosto com um grande sorriso. Foi perfeito! Ela era perfeita para o filme! Foi uma primeira conversa muito emocionante.

Nós ficamos sabendo que esse filme era uma história de origem, então você pode falar como essa é a origem da Harley? Talvez o que é fazer esse time se juntar?
É uma história de origem para as Aves de Rapina e como essa versão do grupo pode se juntar – nos estágios iniciais, é claro – no futuro em formações mais tradicionais, talvez, ou em versões diferentes. As pessoas entram e saem das Aves de Rapina. Harley é a narradora da história, uma narradora muito errática e não confiável, o que é divertido mas também dá ao público a oportunidade de entrar na cabeça dela e ver o mundo por seus olhos. Eu acho que você vai ter que esperar para ver como ela se dá ou não se dá bem com as Aves de Rapina no final. Mas, basicamente, eu não acho que ela é um membro tradicional das Aves de Rapina.

Houve algo que a surpreendeu mais nessa encarnação da Harley quando você estava lendo o roteiro?
Não lendo o roteiro especificamente, porque eu já estava no projeto antes do roteiro ser escrito, então isso veio junto. Eu acho que o que me surpreendeu, e eu disse isso quando estava divulgando Esquadrão Suicida, é que seu relacionamento com o Coringa sempre foi o que mais me confundiu. Foi a coisa que mais demorei para entender. No entanto, nesse filme estamos explorando o fato dela não estar com o Coringa e eu realmente entendo o término. Eu acho que todo mundo pode entender ou se relacionar com isso de algum jeito. Apesar de que, o jeito que ela lida com isso, explodindo coisas… Eu não faço isso. Eu entendo a motivação que estimulou essa linha de pensamentos.

Eu achei muito interessante a primeira prévia que eu vi. Eu senti que o olhar masculino versus o olhar feminino é algo muito difícil de definir, mas você sabe quando você vê. Estou muito interessado no olhar feminino que você está trazendo para essa perspectiva da Harley Quinn com esse elenco e equipe de mulheres empoderadas.
Sim, eu acho que sempre penso que quando você está se vestindo, você está fazendo isso para os meninos ou para as meninas. Tipo, você quer que os meninos achem que você está bonita ou que suas amigas desejassem ter sua roupa. São duas coisas diferentes. Para mim, a estética da Harley especificamente, eu diria que a estética dela é ditada por seu status de relacionamento e se ela está em um relacionamento com o Coringa, que é a versão da Harley que você vê em Esquadrão Suicida, e então nessa versão, onde ela claramente não está com o Coringa e é errática e diferente, mas também o mundo em geral e todo o visual do filme foi criado por mulheres. Nós temos uma diretora, escritora, produtora – um produtor, mas ele é pró-feminista, então eu aceito. Nós deixamos ele entrar. E Erin [Benach], nossa figurinista, quando nos falamos pela primeira vez, muitas de suas inspirações eram de filmes de realidade aumentada, mas também podem existir em um mundo que não é muito chocante, com o qual você se desassocia imediatamente. Como Clube da Luta, por exemplo, algo que ela mencionou foi que você pensa ”Oh, tenho certeza que eles se vestem normalmente,” e então você olha para uma foto do filme e Brad Pitt está usando um roupão rosa florido e é chamativo, brilhante, colorido e estranho, mas parece certo ao mesmo tempo. Acho que é uma combinação de alcançar uma realidade elevada que parece certa e reconhecível ao mesmo tempo, e também distintamente de uma perspectiva feminina.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie foi indicada em duas premiações importantes da temporada por seu papel em Bombshell como a produtora Kayla Pospsil: o Critics Choice Awards e o Golden Globe Awards. Além da categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, Margot também concorre em Melhor Elenco com Bombshell e Era Uma Vez em Hollywood. O resultado do Golden Globe saberemos no dia 5 de janeiro e do Critics Choice no dia 12 de janeiro.

Critics Choice Awards:

MELHOR FILME
1917
Ford v Ferrari
The Irishman
Jojo Rabbit
Joker
Little Women
Marriage Story
Once Upon a Time… in Hollywood
Parasite
Uncut Gems

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Laura Dern – Marriage Story
Scarlett Johansson – Jojo Rabbit
Jennifer Lopez – Hustlers
Florence Pugh – Little Women
Margot Robbie – Bombshell
Zhao Shuzhen – The Farewell

MELHOR ELENCO
Bombshell
The Irishman
Knives Out
Little Women
Marriage Story
Once Upon a Time… in Hollywood
Parasite

Golden Globe:

MELHOR FILME – MUSICAL OU COMÉDIA
DOLEMITE IS MY NAME
JOJO RABBIT
KNIVES OUT
ONCE UPON A TIME… IN HOLLYWOOD
ROCKETMAN

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
KATHY BATES RICHARD JEWELL
ANNETTE BENING THE REPORT
LAURA DERN MARRIAGE STORY
JENNIFER LOPEZ HUSTLERS
MARGOT ROBBIE BOMBSHELL