siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!
28.04.16
NY TIMES: Para Margot Robbie, o movimento nunca para (+ensaio de fotos)

O site do The New York Times publicou uma matéria sobre Margot Robbie, onde a mesma deu uma entrevista contando sobre seus papéis em “Esquadrão Suicida” e “A Lenda de Tarzan” e sobre sua vida no momento. Confira a tradução, feita pela equipe do Margot Robbie Brasil, abaixo:


Margot Robbie veio correndo para o chalé escondidinho que estava alugando aqui. Ela tinha terminado de gravar a voz de um cachorro falante para um filme animado da DreamWorks, e em uma tarde de Abril estava fazendo seu melhor para arrumar roupas espalhadas de malas muito cheias — prova de que uma planejada visita de uma semana à Los Angeles tinha se estendido à um mês.

“Me desculpe por estar tudo tão louco,” disse a atriz de 25 anos, que nasceu na Gold Coast, Austrália, e vive em Londres, ainda que não tenha visto nenhuma das duas cidades em um bom tempo.

“Eu sempre estou, tipo, ‘Não, tudo irá se acalmar semana que vem,'” ela disse em um momento mais relaxado, esticada em um sofá patio ao lado de um travesseiro desbotado que dizia “God Save the Queen” (Deus salve a rainha).

“Então, a semana seguinte acaba sendo mais louca ainda.”

Senhorita Robbie estava no limite da jornada itinerante que a consome desde 2013. Tudo começou grosseiramente no momento em que uma audiencia mundial a descobriu em “O Lobo de Wall Street”, dirigido por Martin Scorsese, interpretando a amante que se transformou em esposa de um corretor inescrupuloso interpretado por Leonardo DiCaprio.

Depois de três anos trabalhando implacavelmente em filmes, ela está pronta para dois de seus papéis mais proeminentes neste verão, em filmes de franquia cujo sucesso poderia transformá-la de uma aspirante à estrela à uma estrela mais do que merecida.

Primeiro, ela será vista como uma autoconfiante e decididamente não-frágil Jane em “A Lenda de Tarzan”, uma nova aventura daquele herói da selva estreiando dia 1º de Julho. Logo após, dia 5 de Agosto, ela estrela em “Esquadrão Suicida”, baseado nos quadrinhos da DC Comics, como Harley Quinn, uma criminosa que empunha um bastão de beisebol e um sotaque do Brooklyn com igual ferocidade.

Estas perspectivas soariam como os sonhos de um ator se tornando realidade, porém elas tem solicitado que Robbie se pergunte se são de fato o cumprimento das suas aspirações.

Enquanto tomando cuidado para não soar ingrata, ela está lutando abertamente com o que significa ser tão visível e se isso era exatamente o que ela imaginou fazendo nesta fase de sua carreira.

“É sempre uma confusão”, disse ela. “Eu pensei que seria uma montanha onde você chega ao topo e então é tipo: ‘Aeeee! É tão fácil depois disso. ‘”

Em vez disso, Robbie disse: “Toda vez que eu chego perto do topo, eu fico tipo ‘Tem outra montanha!’  E a agitação continua.”

A terceira de quatro irmãos criados por uma mãe solteira, Robbie tem estado em movimento quase perpétuo desde o final de 2010, quando seu contrato em “Neighbours” terminou, uma novela australiana na qual ela interpretou uma mulher bissexual de espírito livre, em busca de seu pai biológico.

Dentro de dias, ela estava em um avião para Los Angeles em busca representação e testes para pilotos da TV americana. Ela foi rapidamente escalada para o drama de época da emissora ABC, “Pan Am”.

“É muito mais divertido para as pessoas descreverem como ganhar na loteria e ‘sensação da noite pro dia'”, disse ela. “Mas foi tudo muito estratégico: Estas são as etapas que precisam ser realizadas.”

O cancelamento de “Pan Am” após apenas 14 episódios foi na verdade um golpe de sorte, permitindo-lhe assumir papéis na comédia romântica de Richard Curtis “About Time” e depois “O Lobo de Wall Street.”

Seu desempenho formidável (e o sotaque Nova Iorquino) em “O Lobo de Wall Street” tornou-se seu cartão de chamada. Mas também lhe exigiu que aparecesse em várias cenas de nudez, incluindo uma em que ela aparece para o personagem de DiCaprio vestindo apenas um par de meias e saltos altos.

Robbie disse que teve dificuldades com aquela sequência provocante. Recordando os seus pensamentos no momento, ela disse: “O sacrifício que tenho que fazer é que eu tenho que fazer essa coisa nudez que eu realmente não quero fazer. Mas eu tenho a chance de trabalhar com o Scorsese, o que eu realmente quero fazer. Ok, o que pesa mais?”

Embora o diretor tenha dito que ela poderia fazer a cena com um roupão ou roupas de baixo, Robbie disse que uma vez que ela se investiu na personagem: “Eu fiquei tipo, ela não faria isso, de jeito nenhum. Ela ficaria totalmente nua. ”

Desde então, Robbie já atuou em “Suíte Française” (adaptado da ficção de Irène Némirovsky) e o suspense “Focus” (com Will Smith).

Mas é para “O Lobo de Wall Street” que os cineastas continuam a voltar.

David Yates, o diretor de “A Lenda de Tarzan”, disse que, ver Robbie nesse filme a fez parecer “glamourosa e excitante”, mas também o levou a se perguntar, ela vai ser “apenas um sabor do mês”?

O diretor (cujos créditos incluem quatro filmes do “Harry Potter” assim como o próximo “Animais Fantásticos e Onde Habitam”), disse que para seu “Tarzan”, ele conscientemente evitou criar uma Jane “que era muito vulnerável, que precisava ser salva.”

Ao conhecer Robbie, Yates disse que revelou-se uma mulher que era a certa para o papel mas diferente do que ele esperava.

“Ela é muito pragmática”, disse ele. “Ela é muito perspicaz. Apesar do fato de que é muito bonita e bastante ambiciosa de uma boa forma, ela tem seus pés no chão”.

Para Robbie, “Tarzan” exigiu bastante tempo na frente de telas verdes em Londres, fingindo correr de animais falsos ou suportar uma monção.

(No meio das filmagens, ela comemorou seu 24º aniversário com uma festa de 24 horas de duração. “Muitas pessoas me falaram, ‘Margot, estou cansado’, ela disse. E eu respondi, ‘Nós ainda não terminamos!'”)

Ela enfrentou um tipo diferente de prova de resistência se preparando para “Esquadrão Suicida”, cujo elenco inclui também Will Smith e Jared Leto, e no qual Robbie é uma depravada em uma equipe de vilões incompatíveis transformados em heróis.

Da sua primeira conversa no Skype com Robbie, o diretor e roteirista do filme, David Ayer, disse: “ela foi uma pessoa muito analítica e séria.” Ele acrescentou: “Mas assim que ela se sente confortável, ela realmente se abre”.

Essa era a atriz que Ayer disse que queria para a desequilibrada Harley Quinn, que poderia trazer à vida as “mudanças de engrenagem da personagem, as incursões selvagens que de repente podem ser reais e devastadoras.”

Como Harley Quinn, Robbie mais uma vez teve de colocar muito de seu corpo à mostra: A personagem quase sempre usa shorts minúsculos e é vista, em um trailer, colocando uma camiseta apertada. Robbie disse que pode justificar o guarda-roupa: Sua personagem está “usando shorts curtos porque é brilhante e divertido”, ela disse. “Não porque ela queria que caras olhassem para seu traseiro.”

Mas, ela acrescentou: “Como Margot, não, eu não gosto de usar isso. Estou comendo hambúrgueres no almoço, e então você vai fazer uma cena onde está encharcada em uma camiseta branca, é tão pegajosa e você não se sente muito confiante sobre isso. ”

Mr. Ayer disse que “eu não acho que um macacão jeans seria apropriado para essa personagem”, e que Robbie entendeu “que é parte da iconografia.”

Robbie disse que quando ela está interpretando personagens que são confiantes sobre sua aparência – digamos, uma correspondente de guerra auto-confiante na comédia de Tina Fey “Whiskey Tango Foxtrot” ou uma versão satírica de si mesma, explicando hipotecas de alto risco em um banho de espuma em “The Big Short” — ela não está necessariamente se sentindo daquele jeito.

“Você precisa agir como se pensasse que é muito linda,” ela disse “e você precisa estar completamente convencida com isso, porque todo mundo vai acreditar também.”

Robbie disse que ela pode fazer isso “quando eu tenho certeza que não sou eu.”

Se houver uma sequência de “Esquadrão Suicida”, ela disse, meio brincando e meio não, “Eu não vou vestir shorts curtos da próxima vez.”

Suas co-estrelas de “Esquadrão Suicida” descreveram Robbie como uma performer cuja tenacidade é olhada da maneira errada, superficialmente.

“Você pode se enganar ao pensar que ela é uma pessoa muito descontraída, mas ela é muito, muito séria sobre o que ela faz”, disse Jai Courtney, um colega australiano que interpreta o Capitão Bumerangue.

“Sua busca para isso vem sido realizada obstinadamente”, disse ele. “Ela merece isso. Ela trabalhou para isso. Mas ela também não está descansando sobre quaisquer louros ou presentes ou atributos físicos. ”

Robbie tem ajudado a criar uma nova empresa de produção, LuckyChap entretenimento, para desenvolver projetos que ela poderia estrelar, como um filme planejado sobre Tonya Harding, uma patinadora olímpica desgraçada.

Começar a produzir, ela reconheceu, é também uma forma de alavancar sua fama de bom grado antes que outros possam explorá-la.

“Demorou um pouco de tempo para entender que, oh, você é uma mercadoria agora, e há um valor colocado em sua cabeça”, disse ela. “Alguém sempre vai estar usando seu nome e tirando vantagem disso. Então, você pode deixar seus amigos fazerem isso.

Quando perguntada se ela sentiu que tinha conseguido o que ela esperava quando chegou a Hollywood, Robbie pensou por um momento antes de responder não. Ela não conseguia dizer o que ela queria no passado, mas descreveu um vôo de fantasia que recentemente passou por sua cabeça.

“Muitas vezes eu fico tipo, ‘Eu deveria ter sido uma dublê'”, disse ela. “Eu amo fazer acrobacias e estar no set, mas então você não teria que ser famosa.”

Mas então, ela disse, “Você não pode voltar o relógio.”


Além da entrevista, o TNYT liberou um novo ensaio fotográfico de Margot por Emily Berl. Confira a mesma em nossa galeria, clicando nas miniaturas abaixo:

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2016 > PARA O THE NEW YORK TIMES – ABRIL


 

via TNYT

postado por Gabriella Braga na categoria A Lenda de Tarzan