siga o margot robbie brasil em suas redes sociais!
21.09.16
VOGUE | Margot Robbie pertenceu a um grupo de meninas surfistas – e mais confissões da australiana

Confira abaixo a entrevista concedida pela Margot para a Vogue durante o evento da Calvin Klein na semana passada.

Margot Robbie tem uma maneira de pegar você desprevenido. Quando a atriz apareceu em cena no filme O Lobo de Wall Street em 2013, todos tiveram que conciliar o fato de que essa “loira de bronze” com um aclamado sotaque do Brooklyn era, na verdade, Australiana. Desde então a loira de 26 anos tornou-se conhecida por quebrar o molde de estrela de cinema. Por um lado ela trabalhou muito em dois filmes de peso (A Lenda de Tarzan e Esquadrão Suicida) já, fora das câmeras trabalha na cogestão de uma empresa de produção com um conjunto de projetos futuros, incluindo Terminal, um thriller, e um filme biográfico de Tonya Harding. (Robbie tem a reputação de destemida e faz algumas cenas que deveriam ser executadas por sua dublê, ela tem experiência em patins depois de ter jogado em uma equipe de hóquei no gelo amador há alguns anos atrás, em Nova York.) Ela também atravessa os mundos da extravagância e requinte à mundos desonestos, parecendo tão confortável exalando o glamour de Grace Kelly no tapete vermelho enquanto cobre seus colegas de elenco com sua pistola de tatuagem.

Com o seu último trabalho sendo o rosto de campanha de fragrância Deep Euphoria da Calvin Klein, ela também traz várias camadas de uma mulher que tanto encarna sensualidade quanto um poder espirituoso livre. Aqui ela nos conta sobre os aromas que acompanham-na nos sets de gravações, seus primeiros dias como parte de uma tribo de sufistas “all-girl” e seus segredos de beleza, desde seus treinos em Los Angeles à spa bucólico em Londres.

Você está ligando de Londres. Esse ainda é o lugar que você chama de casa?
Sim! Eu estou nas gravações de um filme no momento, então é bom ter um lugar próximo e relaxar um minuto. É sobre A.A. Milne, o autor das séries Ursinho Pooh e eu interpreto sua esposa, Daphne. É um filme realmente maravilhoso. Eu estou me divertindo muito.

Calvin Klein tem uma longa história com campanhas de época e fragrâncias. Quais foram as suas primeiras memórias da marca?
Minhas primeiras memórias são as fotos de Kate Moss e Mark Wahlberg. Eu achava isso tão legal. Calvin Klein meio que fez os anos 90; eles têm um jeito especial de deixar as coisas clássicas parecerem modernas. Muitas mulheres da minha família usavam os perfumes da Calvin Klein, então várias fragrâncias da marca lembram minha infância.

Quais aromas te levam de volta à sua infância na Austrália? Existiram perfumes emblemáticos que você usava ou era mais o cheiro de praia e protetor solar de eucalipto?
O cheiro da praia e o cheiro de tempestade. Todos esses tipos de coisa, definitivamente, me fazem sentir em casa. Quando estava crescendo na minha casa, nós tínhamos arbustos de lavanda e jasmim, eu posso sentir um pouco de jasmim e rosas neste perfume, então, sim, esses são os aromas que me fazem voltar à infância. Quando eu era uma garotinha, eu me lembro de todas as vezes que abraçava a minha tia ou minha mãe, elas tinham um certo aroma. Eu me lembro de pensar “mal posso esperar para ser grande o suficiente e usar perfume e ter meu próprio cheiro.”

Como o perfume se incorpora no seu dia-a-dia? Dentro ou fora das câmeras? Eu sei que alguns atores incorporam perfumes em seus personagens.
Sim, eu faço isso também! Eu sempre escolho um perfume para cada personagem que eu interpreto. Eu tento mantê-lo especificamente para aquele personagem e, só uso quando entro no set. Eu acho isso muito útil. Para o personagem que eu estou fazendo agora (Daphne Milne) que viveu na década de 1920, eu encontrei esse belo perfume, é mais obscuro e não é de uma marca muito conhecida, mas o frasco de perfume parece que é da época. Eu perguntei sobre o cheiro, e o cara falou “Cheira como Greta Garbo, enquanto andava por um hotel nos anos 20.” E eu tava tipo “era exatamente o que eu estava procurando.” Para Tarzan, quando interpretei Jane, eu usei só óleo de rosas, só porque isso parecia delicado e bem de acordo com o personagem. E quando eu interpretei Harley (Quinn, de Esquadrão Suicida) eu escolhi algo brega e adocicado, que fosse um pouco excessivo e a cara dela. Eu comprei em um shopping na América. No filme que eu fiz antes desse, Terminal, eu estava interpretando uma femme fatale, aquele tipo de mulher peculiar, complicada e perigosa, e como fizemos as imagens para campanha, eu tava tipo “nossa, esse perfume é perfeito para isso.” Então esse acabou sendo meu aroma para o personagem.

Ouvi dizer que você gostava muito de água quando era pequena. Você tinha uma praia favorita ou um local para surfar?
Sim, eu tinha. Eu costumava viver em Currumbin Valley, que é nas montanhas, mas se você ir diretamente para a costa você chega em um lugar para surfar chamado The Alley. É protegido, então as ondas são sempre calmas e agradáveis. Costumávamos ir todo fim de semana parar surfar. Foi quando “Blue Crush” lançou e o filme era nossa maior inspiração naqueles anos. Nós estávamos em The Alley todo fim de semana, querendo ser essas garotas surfistas incríveis. Era uma gangue só de garotas.

Isso te ajudou a estabelecer o seu destemor com acrobacias?
Provavelmente. Onde eu cresci na Austrália, é super ao ar livre. Você está sempre pulando de penhascos e dirigindo motos, fazendo coisas desse tipo, então o trabalho com acrobacias é extremamente divertido para mim.

Como uma Londrina adotada, quais são os lugares saudáveis que você frequenta na cidade?
Apesar do fato de que eu estou aqui há mais de dois anos, eu não sou assim com esse tipo de coisa. Eu normalmente peço para as minhas amigas; Cara [Delevingne] e Suki [Waterhouse] são minhas pequenas confidentes! Eu recentemente, saí para Soho Farmhouse, que é cerca de uma hora e meia fora de Londres, e é, literalmente, o lugar mais relaxante da Terra. Eles têm o Cowshed Spa lá; foi fantástico. E há esta marca, 111Skin. Eu comecei recentemente um tratamento facial lá, e seus produtos são incríveis. Meu maquiador me deixou animada com eles.

Londres, com a sua assinatura de chuva sombria, já te trasmitiu alguma lição de beleza?
Tem sido realmente muito bom para a minha pele estar vivendo aqui. O sol é tão forte na Austrália, especialmente que não tem a camada de ozônio que você tem em outros lugares, e tenho notado que minha pele mudou totalmente. Nessa idade -Eu tenho 26 agora- O dano solar está se mostrando evidente, e nessa idade você começa a se preocupar sobre a obtenção de rugas e manchas solares, eu estou muito grata de estar do outro lado do mundo.

L.A. está em seu futuro, sim? Sobre o que você está mais ansiosa com isso?
Sim, vamos fazer a mudança no final do ano. Vejo Andie Hecker, ela é uma incrível instrutora. Eu amo ser capaz de vê-la em L.A., embora em Londres há um outro incrível instrutor, David Higgins. Ele é australiano, também; ele faz Pilates, e treinamento pessoal. Essa é a minha forma de exercício. Em L.A. é tão fácil comer saudável e ser saudável, e há todos esses métodos bizarros de olhar o seu melhor, que às vezes é útil quando você está tentando entrar em forma; Estou ansiosa por L.A.- É é um vôo muito mais curto para chegar em casa! [Austrália]

E sobre a sua habilidade com tatuagem? O seu hobby ainda continua forte, e você deixou sua marca alguém interessante ultimamente?
Eu não sei sobre habilidades! É mais uma espécie de party trick do que uma habilidade real. Meus suprimentos de tatuagem acabaram por um tempo, então eu parei um pouco, o que era provavelmente a coisa mais segura, porque eu acho que nós estávamos ficando um pouco levados! As pessoas se esquecem de que isso vai ficar preso para sempre nelas, e eles realmente provam ser muito abertos à ideia, o que é um pouco engraçado. Eu acabei de repor meu material, por isso estou pronta para deixar minha marca em algumas novas vítimas, eu acho [risos]. Mas eu tento explicar às pessoas que eu não sou realmente uma tatuadora, por isso, pense muito antes!

Fonte | Tradução e Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

postado por Mari na categoria Entrevistas