Margot Robbie, Tom Ackerley e Josey McNamara foram nomeados Produtores do Ano pelo The Hollywood Reporter. A LuckyChap Entertainment foi responsável por Aves de Rapina e Promising Young Woman, que está sendo colocado como um dos possíveis indicados ao Oscar. Confira a entrevista:

Foi no set de Suíte Francesa, um drama romântico de 2013 sobre a Segunda Guerra Mundial, que Margot Robbie conheceu seus melhores amigos, parceiros de produção e futuro marido.

Tom Ackerley e Josey McNamara eram assistentes de direção na época, mas, assim como Robbie, que ainda não era a A-list que se tornaria, eles aspiravam ter uma carreira bem maior do que a que tinham. ”Estávamos todos tipo, ‘Quero fazer minha própria coisa,’” lembra Robbie, com Ackerley, agora seu marido, adicionando, ”Foi um pouco como, ‘Se eles estão fazendo, por que não podemos?’”

Então, em 2014, o trio, junto com a amiga de infância de Robbie, Sophia Kerr, lançaram a LuckyChap Entertainment de uma casa em Londres para onde os jovens de 20 e poucos anos se mudaram depois das filmagens. A primeira estreia da produtora, Eu, Tonya, a comédia estrelando Robbie como a patinadora Tonya Harding, ganhou elogios extensos, uma série de indicações ao Oscar (incluindo uma vitória para Allison Janney em Melhor Atriz Coadjuvante) e credibilidade instantânea. Seis anos depois, a produtora focada em mulheres que está por trás de Aves de Rapina e Dollface, do Hulu, possui um contrato de exclusividade de filmes com a Warner Bros. e de televisão com o Amazon Studios, e vários projetos, incluindo a adaptação de Greta Gerwig de Barbie, que já deixou Hollywood salivando.

A seguir: Promising Young Woman, uma comédia obscura com suspense e vingança que está gerando burburinho de Oscar para a estrela Carey Mulligan, que interpreta uma ex estudante de medicina intensamente inteligente e astuta motivada a consertar os erros de seu passado. Um queridinho do Sundance, o filme – escrito, produzido e dirigido pela novata Emerald Fennell (Killing Eve) – está programado para estrear no Natal, com planos de locação algumas semanas depois. Para Fennell, a oportunidade de trabalhar com a LuckyChap foi emocionante: ”Como produtores, eles atuam de todas as maneiras que você gostaria: Eles são rápido, dão conselhos incrivelmente bons e são parceiros das pessoas certas,” ela diz. ”Ao mesmo tempo, eles nunca te pressionam e ficam do seu lado em tudo. Além disso, eles são pessoas que você pode realmente confiar, e todo mundo confia neles, também.”

Os Produtores do Ano do The Hollywood Reporter – a australiana Robbie, de 30 anos, ao lado dos britânicos Ackerley, 30, e McNamara, 35 – encontraram tempo em uma tarde recente para discutir seu sucesso inicial, suas queixas com a indústria e seus planos para o futuro da LuckyChap.

Promising Young Woman marca o primeiro filme da LuckyChap sem a Margot como estrela. Estar na frente de todos os filmes até agora foi um plano ou necessidade?
MARGOT ROBBIE:
Nós nunca começamos a produtora para ser um veículo de destaque para mim ou uma plataforma para eu ir atrás dos meus sonhos. Realmente nós queríamos expandir o que as histórias e cineastas femininas podiam fazer nessa indústria, e eu não preciso estar na tela para isso acontecer. Mas é uma posição maravilhosa de estar já que minha plataforma também pode abrir algumas dessas portas. E, especialmente no começo, havia muitos cineastas de primeira ou segunda viagem que queríamos trabalhar, e você não consegue o sinal verde para algo sem um nome financiável anexado e tenho muita sorte de ser um desses nomes. Mas não sou a pessoa certa para todos os papéis. Senti isso com Promising Young Woman.

Eu assisti ao filme pensando que Carey Mulligan é maravilhosa, mas facilmente poderia ter sido você. Como foi feita essa decisão?
ROBBIE:
Eu pensei, “Acho que sou quem as pessoas esperam nesse elenco.” Mas o mais agradável sobre Promising Young Woman é que te pega de surpresa e eu acho que eu não seria tão surpreendente assim – eu fazendo esses tipos de coisas com a percepção das pessoas de quem sou e os personagens que interpretei. Carey Mulligan, no entanto, é uma atriz que tem um ar de prestígio ao redor dela. Ela está em dramas de época. Coloque ela em Promising Young Woman e a mente das pessoas vai explodir.

Quando vocês sentiram que a indústria passou a levá-los a sério como produtores?
ROBBIE:
Quando fizemos um filme. Nosso primeiro filme na verdade foi Terminal – apesar de Eu, Tonya ter estreado antes. Mas mesmo antes de estrear qualquer coisa, o fato de que fizemos um filme foi uma grande diferença porque muitas pessoas falam que são “produtores” e a próxima pergunta é, ”O que você fez?”

E então é um silêncio longo e estranho?< TODOS: Sim [Risos]
JOSEY MCNAMARA: Nós gostamos de dizer, ”Primeiro você tem sorte, depois você fica esperto.” Eu, Tonya deixou o padrão tão alto que depois disso, percebemos: ”Ok, não podemos simplesmente colocar qualquer coisa no mundo. Precisa ser mais estratégico.”
TOM ACKERLEY: Precisávamos provar que éramos mais do que um filme.

Ouvi dizer que o lema da sua produtora é ‘Se não é um sim pra caralho, é um não.’ Por favor, defina um sim pra caralho.
ROBBIE:
Algo como Eu, Tonya. Muitas pessoas provavelmente leram aquele roteiro e disseram, ”Isso não pode ser feito.” Nós éramos jovens e idiotas o bastante para falar, ”Vamos fazer isso.” O mesmo com Promising Young Woman. Emerald era um sim pra caralho. Para mim, é instinto – e um pouco de ”Meu Deus, podemos fazer isso?” Mas se fizermos, vai ser incrível.
MCNAMARA: Costumávamos dizer que queríamos que as coisas fossem subversivas, mas agora é mais sobre ser surpreendente. Tantas coisas estão tentando ser subversivas atualmente, mas poucas são realmente surpreendentes.
ROBBIE: E nós gostamos das coisas que não estão em foco. Algo como Barbie, onde o próprio nome as pessoas imediatamente possuem a ideia de ”Oh, Margot vai interpretar a Barbie, eu já sei o que é.” Mas nosso objetivo é, ”Qualquer coisa que você esteja pensando, vamos te dar algo totalmente diferente – aquilo que você não sabia que queria.”

Ter Greta Gerwig e Noah Baumbach escrevendo o roteiro em si já subverte as expectativas…
ROBBIE:
Sim. Agora, podemos honrar o nome e a fã base e também surpreender as pessoas? Porque se pudermos fazer isso tudo e provocar uma conversa pensativa, então estamos preenchendo todos os cilindros.

Um dos seus objetivos desde o início era promover histórias femininas de cineastas mulheres. Como vocês decidiram que essa seria a missão da produtora?
ROBBIE:
Ao começar qualquer negócio, você identifica uma brecha no mercado. E essa conversa começou porque eu fiquei tipo, ”Eu continuo a pegar roteiros e nunca quero interpretar a menina, quero ser o menino.” E eu não posso ser a única. Existem atrizes brilhantes que não estão conseguindo papéis incríveis. E além disso, você olha para as estatísticas de diretores homens vs mulheres, roteiristas homens vs mulheres, etc., e há tanto para ser feito. Você não pode simplesmente sentar e não fazer nada quando escuta essas estatísticas.

Uma das coisas que vocês fizeram, ao lado de Christina Hodson (Aves de Rapina) e sua produtora, é criar um programa para ajudar mulheres roteiristas a entrar no gênero de ação. E agora as primeiras roteiristas tiveram sucesso em vender os projetos para grandes distribuidores, não é isso?
ACKERLEY:
É um pequeno passo, mas colocar essas roteiristas no mundo mudou as estatísticas. E não é só sobre criar um espaço para as pessoas, é sobre elas contarem as histórias que querem contar.
ROBBIE: Pensar que mulheres não iriam querer escrever filmes de ação – ou qualquer outro gênero que não seja o de baixo orçamento voltado para o personagem – é ridículo.

O quão importante é para vocês na LuckyChap contratar mulheres para dirigir seus projetos?
ACKERLEY:
Queremos trabalhar com as melhores da cidade – mas também queremos apresentar novas diretoras. Promising Young Woman foi o primeiro filme de Emerald – ela já estava bem em sua carreira, mas queremos pessoas como ela e então apoiá-las de qualquer jeito que pudermos.
ROBBIE: Ela é um grande exemplo de diretora que tinha uma visão clara e um jeito incrível de articular isso. E feliz para ela, nós e para o mundo, ela também é uma escritora excepcionalmente talentosa, então ela conseguiu escrever muito bem. Mas você precisa trabalhar para encontrar as Emeralds. Quando você faz uma lista de diretores em potencial, você facilmente pensa em 10 nomes masculinos que seriam certos para qualquer coisa. Pensar em 10 nomes femininos requer trabalho. Você precisa pesquisar em festivais, comerciai e curtas porque esses nomes não tiveram as mesmas chances.
MCNAMARA: E mesmo se não conseguirem o trabalho, se nós pudermos colocar alguém em uma sala, na frente dos executivos dos estúdios, alguém que não tenha estado em uma sala de estúdio antes, é uma vitória para nós.

Margot, estou curioso sobre sua carreira, como você escolhe o que produzir e o que atuar? E você tem influência agora para dizer, ‘Só assino se a LuckyChap vier junto’?
ROBBIE:
Oh, não, ainda estou muito feliz em atuar em filmes em que eu ou a produtora não estamos envolvidos. É muito bom, na verdade [Risos]. Eu sinto que começo a entrar em pânico e fazer uma lista na minha cabeça, tipo, ”Oh, não vamos conseguir aquilo. Oh, estamos passando do tempo.” E então fico, ”Não importa.”

”Não é problema meu…”
ROBBIE:
Exatamente, outra pessoa pode se preocupar com isso. [Risos]
MCNAMARA: E de um ponto da produtora, nós sempre queremos ser uma adição em um projeto. Não queremos ser uma bagagem.
Robbie: Não queremos ser outro item no orçamento, e sempre queremos que essa conversa venha primeiro. Podemos ser uma adição como produtores? Porque se você está apenas tentando nos lisonjear, temos vários outros projetos que temos paixão e precisam do seu tempo e atenção.

Vocês possuem um contrato com a Warner Bros., que anunciou recentemente que estará disponibilizando o catálogo inteiro de 2021 no HBO Max ao mesmo tempo que nos cinemas. Presumo que vocês não sabiam que essa notícia estava vindo?
MCNAMARA:
Não.

O que vocês acham?
ROBBIE:
Sabemos que há pessoas na Warner Bros. com quem temos relacionamentos brilhantes e que são muito amigáveis com os artistas e responsáveis pela reputação incrível que a Warner teve durante as últimas décadas sendo um estúdio que predominantemente prioriza os artistas. Temos esperança de que tudo vai se organizar e que a Warner fará o que é certo com seus contadores de histórias.

Muitos artistas e muitos representantes dos artistas estão preocupados sobre como serão compensados completamente sem a bilheteria tradicional. Vocês estão preocupados?
ROBBIE:
Acho que todo mundo está tentando entender. É muito recente, todas essas conversas estão acontecendo agora. E todos terão suas discussões e apresentarão suas opiniões.
MCNAMARA: E nós continuaremos fazendo filmes.
ROBBIE: Sim. Tudo o que podemos fazer é voltar para o motivo pelo qual estamos fazendo isso em primeiro lugar. Se fossemos pessoas orientadas pelo dinheiro, nós provavelmente estaríamos trabalhando em uma indústria diferente. Para nós, é a emoção de contar histórias, estar nos sets e dar uma plataforma para as pessoas, e coisas como a notícia da Warner Bros. não mudam isso.

Vocês possuem muita coisa em andamento além de Promising Young Woman. Para o que vocês estão mais animados?
ACKERLEY:
Estamos filmando Maid em Vancouver, e é fenomenal. Molly Smith Metzler escreveu um dos roteiros mais incríveis. É uma história socioeconômica que examina a pobreza na América, Margaret Qualley está estrelando e a Netflix vai fazer grandes coisas.
MCNAMARA: E então Barbie, que é nosso Everest. Como Margot disse, você pensa que sabe o que vai ser o filme com Margot como Barbie, mas Greta e Noah subverteram o filme e mal podemos esperar para começar.

Vocês podem me falar alguma coisa sobre a premissa?
ROBBIE:
Não podemos, infelizmente. Tudo o que Podemos dizer é que qualquer coisa que você esteja pensando, não é isso.

O roteiro está finalizado?
ROBBIE:
Não posso dizer. Eu quero te contar tudo, de verdade. [Risos]

Vou tentar outra pergunta: Haverá uma sequência de Aves de Rapina?
ROBBIE:
Não sei. Nada iminente nesse ponto, nada que valha a pena mencionar.

Há um ditado que diz que não se deve misturar prazer com negócios – e aqui estão vocês, melhores amigos, antigos colegas de casa e, no caso de Margot e Tom, marido e mulher. Como isso tornou os negócios mais fáceis e mais difíceis?
ROBBIE:
É super estranho para mim porque esses dois são praticamente casados, então… [Risos] Não, para ser honesta, quando começamos a produtora, muitas pessoas nos avisaram sobre isso e disseram, ”Negócios e amigos não se misturam. Sempre vai terminar mal.” Nós ouvimos muito isso.
MCNAMARA: Mas temos uma vantagem porque conhecemos muito bem um ao outro e nossos gostos, então é perfeito e agradável, também.
ACKERLEY: Exatamente, e realmente tentamos promover esse ambiente familiar na produtora, também. É uma coisa difícil e acho que tivemos sucesso.

Como é isso?
ROBBIE:
Bem, nos melhores dias é vinho às 4 da tarde no final da semana que se torna Jägerbombs que se torna… [Risos]

Falando nisso, tenho que perguntar sobre o nome LuckyChap. Sei que de algum jeito envolve Charlie Chaplin e um pouco de bebida demais.
ROBBIE:
Sim, você praticamente resumiu tudo. Estávamos bêbados e não lembramos como chegamos nisso. [Risos]
MCNAMARA: A gente realmente deveria pensar em uma resposta melhor.
ROBBIE: Todo mundo já sabe agora. Mas até agora tem sido um amuleto da sorte, então acho que vamos manter assim.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

A Warner Bros. anunciou na tarde de hoje que todos os seus filmes de 2021, incluindo O Esquadrão Suicida, seguirão o modelo de estreia de Mulher Maravilha 1984: eles irão para o serviço de streaming HBO Max simultaneamente com a estreia nos cinemas. O HBO Max está disponível apenas nos Estados Unidos por enquanto e no Brasil as estreia continuam apenas nos cinemas. Entenda mais sobre a mudança:

Warner Bros. está planejando uma resposta abrangente para a atual pandemia de COVID-19, que fechou vários cinemas pelo país. Depois de anunciar que Mulher Maravilha 1984 iria para o HBO Max assim como para os cinemas no dia 25 de dezembro, o estúdio decidiu um caminho similar para seu catálogo de 2021 no meio da incerteza sobre quando ir para o cinema será normal novamente.

O estúdio anunciou na quinta-feira os lançamentos para seus 17 filmes, que irão para o HBO Max por um mês que começa no mesmo dia em que estarão nos cinemas estadunidenses.

O catálogo do estúdio para 2021 inclui projetos como O Esquadrão Suicida, Matrix 4, Duna, Godzilla vs Kong e Space Jam: A New Legacy. Outros filmes incluem Little Things, Judas and the Black Messiah, Tom & Jerry, Mortal Kombat, Those Who Wish Me Dead, Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio, Em um Bairro de Nova York, Reminiscence, Malignant, The Many Saints of Newark, King Richard e Cry Macho.

A mudança inesperada provavelmente pegará os donos de cinemas desprevenidos e chatear um modelo que já existe há décadas. A Warner Bros. enfatiza que essas são regras apenas para a pandemia, mas uma vez que algo foi quebrado, você pode consertar? Isso também deixa preocupações sérias sobre o cinema em 2021.

Toby Emmerich, president do Warner Bros. Pictures Group, disse que a mudança seria boa para o setor teatral em uma entrevista com o The Hollywood Reporter. ”Nos permite uma estreia mundial e nacional no que pensamos ser um mercado teatral xadrez por grande parte de 2021,” Emmerich disse ao THR. ”Pensamos que, onde os cinemas estão abertos e os consumidores podem ir, muitas pessoas escolherão ir ao cinema, especialmente para grandes filmes.”

Apesar da notícia da chega das vacinas, a empresa decidiu colocar o catálogo inteiro de 2021 no HBO Max depois de consultar epidemiologistas. Emmerich disse que a mudança foi ”para garantir o máximo de filmes para o ano que pudermos para o mercado teatral mundial.”

Fontes dizem que essas discussões foram mantidas em segredo e não compartilhadas com vários exibidores. Warner Bros. provavelmente terá que concordar com termos mais generosos de donos de cinemas para evitar que boicotem seus filmes. Insiders dizem que a venda de ingressos para Mulher Maravilha 1984 está melhor do que o normal. Fontes também dizem que o estúdio não informou parceiros como a Legendary, que possui Duna e Godzilla vs. Kong, que seus filmes estavam incluídos no plano.

Emmerich não comentou sobre possíveis termos que o estúdio pode dar para os cinemas para exibir esses filmes. Ele também notou que estava animado para outros estúdios compartilharem seus próprios planos, dizendo, ”ter filmes no mundo é bom para os cinemas.”

Em uma declaração anunciando a novidade, Ann Sarnoff, CEO da WarnerMedia Studios and Networks Group, citou ”tempos sem precendentes” que ”clamam por soluções criativas.”

”Ninguém quer os filmes nas telonas mais do que nós,” disse Sarnoff. ”Nós sabemos que conteúdo novo é a força vital da exibição nos cinemas, mas nós temos que balancear isso com a realidade que a maioria dos cinemas nos Estados Unidos provavelmente irão operar com capacidade reduzida durante 2021. Com esse plano unicamente de um ano, nós podemos apoiar nossos parceiros na exibição com um fluxo constante de filmes de classe mundial, enquanto também damos aos cinéfilos que podem não ter acesso ou não estão prontos para voltar aos cinemas a chance de ver nossos incríveis filmes de 2021. Nós vemos como uma vitória dos dois lados para os amantes do cinema e exibidores, e estamos extremamente gratos a nossos parceiros cineastas por trabalharam conosco nessa resposta inovadora às circunstâncias.”

”Depois de considerar todas as opções disponíveis e a situação projetada para a ida ao cinema em 2021, nós chegamos na conclusão de que esse era o melhor jeito para a indústria de filmes da WarnerMedia pelos próximos 12 meses,” disse o CEO da WarnerMedia, Jason Kilar, em uma declaração. ”Mais importante do que isso, estamos planejando levar 17 filmes notáveis ao longo do ano, dando a eles o pode de decidir como querem aproveitar esses filmes. Nosso conteúdo é extremamente valioso, a não ser que esteja sentado em uma estante sem ser visto por alguém. Nós acreditamos que essa abordagem serve nossos fãs, exibidores e cineastas, e aumenta a experiência do HBO Max, criando valor por tudo.”

“Esse modelo de exibição híbrido nos permite apoiar nossos filmes, parceiros criativos e cinéfilos em geral durante 2021,” disse Emmerich em uma declaração. ”Nós temos uma lista fantástica e ampla de títulos de cineastas talentosos e visionários no próximo ano, e estamos animados para trazer esses filmes para o público mundial. E, como sempre, nós vamos apoiar todos nossos lançamos com campanhas de marketing inovadoras e robustas para suas estreias no cinema, enquanto também destacaremos a oportunidade única de ver nosso filme domesticamente pela HBO Max, também.”

O HBO Max só está disponível nos Estados Unidos e os lançamentos de 2021 da Warner vão para os cinemas internacionalmente como planejado. A mudança vem depois da Warner ter lançado Tenet, de Christopher Nolan, nos cinemas no meio do ano durante os desafios enfrentados por causa da pandemia.

A Universal já diminuiu o tempo dos filmes no cinema por seu plano único de locação, que foi feito por causa da pandemia.

Quando perguntado quanto tempo demorou para chegar nessa decisão e ganhar o apoio da empresa, Emmerich notou, ”Demorou um momento como uma empresa.”

”Nós temos esses filmes parados na estante,” disse Emmerich. ”Os consumidores estão famintos por conteúdo.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie está em negociações para estrelar o filme Babylon, do diretor Damien Chazelle [Whiplash, La La Land] ao lado de Brad Pitt. O papel seria da atriz Emma Stone, que precisou abrir mão por problemas com agenda. Confira detalhes abaixo:

Em um grande desenvolvimento em Babylon, Emma Stone não se reunirá com seu diretor de La La Land, Damien Chazelle. Mas o filme continua firme e forte: Margot Robbie está em negociações iniciais para se reunir com Brad Pitt, seu colega de elenco em Era Uma Vez em… Hollywood.

Fontes dizem que Stone está deixando o filme por conflitos de agenda, e que a Paramount Pictures e Chazelle estão agora em negociações iniciais com Robbie para o papel principal feminino.

O filme é um drama de época para maiores ambientado no momento de mudança em Hollywood quando a indústria mudou de filmes mudos para falados. Quando a Paramount comprou o filme no fim de 2019, a estreia estava programada para o Natal de 2021 com qualificação para as premiações e uma abertura até 7 de janeiro. Isso foi antes da pandemia e obviamente sujeito à mudanças porque a expectativa é que filme pelo menos parte em Los Angeles. O filme será produzido por Olivia Hamilton, Matt Plouffe, Marc Platt e Tobey Maguire.

O projeto foi comprado após a Netflix dar o sinal verde para outro filme da era de ouro de Hollywood, Mank. O drama dirigido por David Fincher com roteiro de seu pai, Howard Fincher, sobre o roteirista de Cidadão Kane, Herman J. Mankiewicz, é um dos carros chefes da temporada de premiações, com Gary Oldman interpretando o protagonista. Babylon tem o mesmo tipo de peso.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

O Esquadrão Suicida estampa a capa de dezembro da revista Empire com novas fotos dos bastidores e entrevista com o diretor do filme. O Esquadrão Suicida chega aos cinemas em agosto de 2021. Confira as capas: