O último dia de CinemaCon começou com o painel da Paramount Pictures, responsável pela distribuição do próximo filme de Damien Chazelle, Babylon, que conta com Margot Robbie e Brad Pitt no elenco principal. Embora não tenha sido liberado para o público geral, o trailer do filme exibido na convenção foi descrito por veículos internacionais que estavam presentes no evento. Saiba mais:

• Variety: Do diretor Damien Chazelle, Babylon, uma homenagem cheia de estrelas para a era de ouro de Hollywood, trouxe o brilho glamuroso para a CinemaCon.

Aqueles que estavam presentes no evento, uma convenção anual para donos de cinemas que está atualmente acontecendo em Las Vegas, foram mimados com imagens inéditas de Babylon, que destaca Brad Pitt como a estrela dos filmes mudos, John Gilbert, e Margot Robbie como o ícone dos anos 20, Clara Bow.

Antes da apresentação da Paramount na CinemaCon, pouco se sabia sobre Babylon, um filme de época ambientado no fim dos anos 20 durante a transição da indústria cinematográfica dos filmes mudos para os sonoros.

Baseando nas primeiras imagens de festas glamurosas contra um cenário de negócios de entretenimento em fluxo, Babylon parece uma mistura entre O Grande Gatsby de Baz Luhrmann e Era Uma Vez em… Hollywood de Quentin Tarantino. Pense em música alta, figurino deslumbrante e maquiagem de alto nível.

“Sabe o que temos que fazer… temos que redefinir o molde”, diz o personagem de Pitt. “Quando me mudei para Hollywood, as placas nas portas diziam: “Não é permitido atores e cães.” Mudamos isso.” Mais tarde, ele se torna poético sobre o poder dos filmes. “O que acontece na tela significa algo.”

Clara Bow de Robbie está menos preocupada com seu lugar no showbiz. “Você não se torna uma estrela”, ela diz. “Ou você é… ou não é.”

Em uma cena engraçada enquanto o personagem de Pitt está no set de um grande filme de gladiador, ele desvia de uma lança que quase o espeta. “Senhor, acho que sua barraca está na linha de fogo”, alguém do departamento de arte avisa, e Gilbert responde: “Vamos editar na pós-produção.”

Tobey Maguire, que também serve como produtor executivo, interpreta Charlie Chaplin, enquanto Max Minghella interpreta Irving Thalberg. O elenco de estrelas de Babylon também inclui Spike Jonze, Jean Smart, Flea, Samara Weaving e Olivia Wilde.

• Deadline: Entre os destaques está Babylon, de Damien Chazelle, no que parece ser um filme engraçado e provocante da era do jazz, das festas e do começo de Hollywood. Margot Robbie aparece interpretando o que parece uma atriz torturada, exigindo seu close-up, dizendo: “Você não se torna uma estrela, ou você é ou não é.”

Algumas cenas se passam no set de um filme épico com espadas e sandálias enquanto a câmera se move entre clubes noturnos e outros sets de filmes. Jack Conrad de Pitt contribui: “Quando me mudei para Hollywood, as placas nas portas diziam: “Não são permitidos atores e cães.” Nós mudamos isso.” Um corte o mostra se dirigindo a alguém desconhecido, dizendo: “Então, o que acontece na tela significa algo.” O filme estreia no Natal com uma expansão planejada para o dia 6 de janeiro.

• THR: A personagem de Margot Robbie é vista na prévia em sets de filmagem e dançando em quintais gigantes das festas de Hollywood. Quando no set, enquanto a câmera se move para focar em seu rosto, Robbie diz: “O que acha de fazermos o meu close-up agora?”

Anteriormente apelidado de Canterburry Glass, o título do novo filme de David O. Russell foi revelado durante a CinemaCon e se chamará Amsterdam, o mesmo de quando entrou em produção. Com Margot Robbie, Christian Bale e John David Washington em um elenco repleto de estrelas, uma prévia do filme foi exibida durante o painel da Disney na convenção na tarde de quarta-feira (27). Confira detalhes e a primeira foto oficial divulgada pelo estúdio:

• THR: O novo filme de David O. Russell agora possui um título, Amsterdam, e foi descrito no palco como uma história original de crime épico sobre três amigos que se encontram no meio de uma das tramas secretas mais chocantes da história americana. Os três amigos são Christian Bale, Margot Robbie e John David Washington, um médico, uma enfermeira e um advogado “que se conheceram na Bélgica”. Eles possuem uma cena com Robert De Niro enquanto ele os questiona sobre seus respectivos passados.

“Muito disso realmente aconteceu”, promete uma prévia que contém vestimentas dos anos 30, uma sequência de dança e outra cena com Taylor Swift atuando oposta a Bale, Washington e Chris Rock enquanto os quatro ficam de pé ao lado de “um homem branco em uma caixa” (diz Rock).

Russell também reuniu Anya Taylor-Joy, Mike Myers, Rami Malek, Zoe Saldaña, Timothy Olyphant, Michael Shannon, Andrea Riseborough, Alessandro Nivola e Matthias Schoenaerts, entre outros. Amsterdam chega aos cinemas no dia 4 de novembro.

• Deadline: O filme se passa no começo do século 20, um longa que, olhando pelo trailer, passa uma vibe de rock & roll absurda e conta com as piadas da comédia policial de Russell, Trapaça.

No trailer, De Niro questiona com ceticismo o trio de amigos sobre seus passados. São um médico, uma enfermeira e um advogado – todos veteranos que se conheceram na Bélgica. Um intertítulo diz: “Muito disso realmente aconteceu.” Entra ‘Join Together With the Band’ da The Who e a narração de Bale, que nos conta: “Fizemos um pacto e prometemos proteger um ao outro acima de tudo. Mas, às vezes, a vida é perfeita até não ser.”

O trailer chega ao clímax com Rock, Bale e Swift ao redor de um caixão. “Vocês estão com um homem branco morto em uma caixa”, Rock diz para Bale. “Quem vocês acham que vai se encrencar por isso? O cara negro.”

• Variety: Liderado por John David Washington, Margot Robbie e Christian Bale, o filme de época foi descrito como um “crime épico romântico original”, de acordo com o executivo da Disney, Tony Chambers, que apresentou o longa para a convenção de proprietários de cinemas na quarta-feira.

Estreando pelo selo do 20th Century Studios, pouco se sabia sobre o projeto do diretor de O Lado Bom da Vida e O Vencedor, além de seu extenso elenco – que inclui Taylor Swift, Chris Rock, Zoe Saldana, Michael Shannon e Robert De Niro.

Amsterdam se passa em um mundo estranho e misterioso durante os anos 30, onde o trio principal “se encontra no centro de uma das tramas mais secretas da história americana.”

Com cicatrizes no rosto e cabelo bagunçado, o personagem de Bale parece um pouco mais fraco do que os durões que Russell ama fazê-lo interpretar. Uma Robbie morena e um Washington engomado completam o trio muito bem enquanto o perigo aumenta (com muita bebida e dança).

Swift aparece como uma filha em luto, chorando em frente ao corpo de seu pai enquanto Rock observa.

“Vocês estão com um cara branco em uma caixa. Não é nem um caixão, não tem tampa”, diz Rock enquanto Swift soluça. “Sabem quem vai se encrencar? O homem negro.”

A Warner Bros. divulgou a primeira imagem oficial de Barbie na noite da última terça-feira (26) durante o painel na CinemaCon em Las Vegas. Além da imagem, a Warner também divulgou que o filme de Greta Gerwig chega aos cinemas no dia 21 de julho de 2023. Confira a imagem na nossa galeria:

Sebastian Stan está divulgando dois novos projetos, o filme Fresh e a série Pam & Tommy, e contou com sua colega de elenco de Eu, Tonya, Margot Robbie, para entrevistá-lo na nova edição da revista L’Officiel. Leia abaixo a conversa traduzida:

Margot Robbie: Vou começar do começo, lá quando você foi concebido – não, estou brincando, nem tão longe. Nos conhecemos fisicamente durante a leitura química de Eu, Tonya, mas eu já havia visto seu vídeo de teste. Eu não sei se já contei isso para você, mas não te reconheci. Acho que você estava usando uma blusa de gola alta e talvez estava com bigode. Lembro de pensar: “Uau, esse ator é tão bom, quem é esse cara? Ele vai ser um achado.” Depois, pesquisei e disse: “Puta merda, é o cara gato de Gossip Girl e daqueles filmes da Marvel!” Desde então, sinto que você continua se transformando. Queria te perguntar sobre a transformação mais física, particularmente em Pam & Tommy e Fresh. É algo que você sente que ajuda?
Sebastian Stan: Sinto que a parte física sempre nos ajuda, não é? Porque sou uma pessoa tão autoconsciente com os meus “Sebastianismos”. Ter que se transformar em algo que não é realmente você é assustador, mas me impede de me julgar.
MR: Você quer saber de um Sebastianismo que eu notei? Você cobre metade do seu rosto quando ri. Eu amo.
SS: É, eu faço isso. É o meu emoji favorito, falando nisso.
MR: Mas entendo totalmente o que você está dizendo. Sinto que quanto menos pareço e soo comigo mesma, mais afastada do personagem estou. Dito isso, o que te motiva a fazer as escolhas que você faz? Mesmo se eu não tivesse trabalhado com você ou te conhecido, sei que seria sua fã por causa dos personagens arriscados que você interpreta e por trabalhar tanto com diretores de primeira ou segunda viagem.
Esse trabalho toma muito de você, então acho que é sobre encontrar algo que você possa realmente mergulhar de cabeça para justificar os sacrifícios que você faz. É engraçado, mas muitas das respostas para essas perguntas voltam para Eu, Tonya. Aquela experiência honestamente me levou para outro nível. Entre você, o diretor [Craig Gillespie], o ótimo roteiro e a equipe incrível – foi a primeira experiência que tive em que vi o cinema como uma máquina. Trabalhar com você foi como um raio para mim porque percebi que sou melhor atuando com mulheres fortes. Trabalhei com Jessica Chastain, Julianne Moore e Lily James, e sinto que esse é meu lugar.
MR:Parece apenas uma coisa legal de dizer, mas eu sou apenas tão boa quanto os atores com quem trabalho. Quando fizemos as leituras de química para Eu, Tonya, tentei não esperar demais de alguém em particular, mas com você, pensei um minuto depois: “É ele!” Você fez leituras de química para Pam & Tommy ou para Fresh? Ou você apenas teve sorte e teve ótima química com as duas colegas de elenco?
SS: Não fiz. O roteiro de Fresh tinha umas sequências de dança ridículas, então eu enviei para a diretora Mimi Cave um vídeo meu na cozinha – peguei essa faca de carne enorme e comecei a dançar uma música dos anos 80. Então, ela assistiu e acho que foi o bastante. Daisy Edgar-Jones foi contratada e eu sabia, vendo o trabalho dela, que ela seria alguém que iria ancorar esse projeto e levá-lo para a direção certa. Eu não havia conhecido Lily James antes de Pam & Tommy, até que Craig nos chamou na casa dele e disse: “E aí, pessoal? Deveríamos ensaiar?”
MR: Fresh é tão bom. Na verdade, estou um pouco feliz que estamos fazendo isso pelo Zoom porque estaria verdadeiramente com medo de ficar no mesmo lugar que você agora. Perdi a cabeça completamente assistindo ao filme, é tão brilhante e tão fodido.
SS: Tivemos muita sorte que todos estavam tão abertos ao que Daisy e eu queríamos fazer, não queríamos cair em nada enigmático. Começa como uma comédia romântica e você deve enxergar que há um potencial entre os dois personagens principais, mas a verdade é que esse cara é obcecado por ela. Aquela cena em que a personagem da Daisy acorda amarrada na cama dele e percebe o que está acontecendo, tudo muda. Você a vê indo de: “Espera, isso está acontecendo?” para “Meu Deus, está acontecendo.” Ela mantém o filme no chão desde então. Nós fomos criados com essa narrativa de você vai conhecer alguém que irá se abrir e te entender instantaneamente, e então vocês ficarão juntos pelo resto da vida. O filme faz um pequeno comentário sobre isso, como você se apaixona por alguém porque está faminto por uma conexão verdadeira, mas essa pessoa é realmente quem diz ser? Talvez precisemos dar um passo para trás e pensar: “Ok, estou sentindo algo intenso, mas me deixe entender antes de…”
MR: Antes que ele me corte em pedaços e venda meus joelhos? Eu não sei com qual frequência tenho esse pensamento. Brincadeiras à parte, o filme fala sobre esses pensamentos de um jeito tão inteligente. Tipo, sim, eu totalmente faço isso. Eu coloco as chaves entre os dedos quando estou andando até meu carro. Mudando o assunto para Pam & Tommy, a transformação física foi insana. Como vocês conseguiram acertar tanto?
SS: Tínhamos uma equipe de cabelo e maquiagem incrível. Lily ficava no trailer de maquiagem por três horas e meia todas as manhãs e eu tinha que retocar as tatuagens a cada três dias. Eu ainda tive que perder peso…
MR: Eu ia perguntar se você ficou com fome nesse trabalho.
SS: Muita fome. Teve que ser rápido, foi uma grande coisa. Antes de começarmos a filmar, eu fui para o Canadá para Fresh, e nos fins de semana, eu acordava às cinco da manhã, corria oito quilômetros, e depois começava a tocar bateria. Assim que voltei para Los Angeles e comecei a me preparar completamente para Pam & Tommy, senti que precisava das tatuagens rapidamente porque só estava me vendo. Em um momento, Lily e eu estávamos ambos entrando em pânico – você entende isso, não é? Ficamos assistindo clipes no Youtube, ouvindo as mesmas entrevistas repetidamente. Não queríamos que isso se tornasse uma imitação. Lembro de enviar para Lily uma entrevista que você havia feito para Eu, Tonya que foi o que me desbloqueou – que é libertador aceitar que você não é essa pessoa. Em vez disso, eles passam através de você, e é isso que a performance deve ser.
MR: Certo. Você precisa encontrar a essência dessa pessoa e incorporar o espírito dela da melhor forma que puder. Com Tonya Harding, eram pequenas coisas físicas que traduziam sua essência. Quando ela está falando com o sotaque, sua mandíbula está sempre travada. Então, eu pensava: “Por que a mandíbula das pessoas está sempre travada assim? Estão com raiva? Estão reprimindo algo? Se estou usando patins, meus pés estão pesado. Meus pés estão sempre pesados? Eu sinto que a vida está me afundando?” Depois, de repente, você vai experimentar roupas e alguém vai sugerir outra coisa, e você vai dizer: “Não, ela não usaria isso.” Então, você finalmente vai pensar: “Eu a conheço agora. Entendi.” Houve algum momento assim com Tommy Lee, em que tudo se encaixou e você o entendeu?
SS: Sim. É uma das coisas que não exploramos na série, mas descobri enquanto lia o livro dele que seus pais não se falavam. A mãe dele era da Grécia e o pai tinha um passado militar. Eles se conheceram na Grécia e se casaram depois de quatro dias – basicamente da mesma forma que Tommy se casou com a Pamela – e trouxe ela para a América. Durante os anos de formação do Tommy, os pais dele se comunicavam através de fotos porque a mãe dele não sabia falar inglês. Quando ele se metia em encrenca quando criança, eles o mandavam para o quarto e não diziam o que tinha acontecido. Acho que por isso ele não gostava de silêncio. Então, ele encontrou um jeito de canalizar essa energia batucando em coisas – potes e tampas – antes de ir para a bateria. Uma vez que entendi essa necessidade de conexão e de ser ouvido, meio que entendi de onde essa energia vem. Se ele entrasse em um lugar, você saberia que ele estava entrando.
MR: Existe algum gênero que você ainda não fez e quer fazer?
SS: Eu realmente preciso fazer uma comédia. [Risos.]
MR: Você quer fazer uma comédia romântica? Eu estava falando isso para um diretor outro dia, eu quero fazer uma comédia romântica diretamente dos anos 90.
SS: São as melhores! Um Lugar Chamado Notting Hill? Harry e Sally? Esses filmes não ficam velhos para mim.
MR: Última pergunta: qual filme você assistiu mais do que qualquer outro na vida?
SS: Acho que Boogie Nights. Posso assistir em qualquer momento, não importa.
MR: Boogie Nights é a resposta descolada. Você tem que me dar a resposta vergonhosa agora.
SS: A resposta vergonhosa! Sinceramente, deve ser Um Lugar Chamado Notting Hill. Já vi esse filme tantas vezes. Se está disponível no avião, vou ter que assistir. Esse está no topo da lista.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil