Em uma lista feita e divulgada pelo The Hollywood Reporter, Margot Robbie aparece entre as 100 mulheres mais poderosas na indústria do entretenimento em 2021. A atriz participou de um breve jogo de perguntas e respostas, confira abaixo:

Sua indicação ao Oscar em 2020 por O Escândalo precedeu uma série de acertos na telha da LuckyChapAves de Rapina e Bela Vingança sendo os mais notáveis. Como atriz, a pista de dança de Robbie está cheia. Um filme ainda sem título de David O. Russell, O Esquadrão Suicida e um live action da Barbie (também da LuckyChap) estão entre os destaques.

Eu gostaria de me encontrar com…
“Tierra Whack”

Maior conquista não relacionada ao trabalho na pandemia…
“Fazer geleia.”

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Em entrevista ao Den of Geek, Margot Robbie comentou sobre a probabilidade de uma sequência para Aves de Rapina. A atriz não descartou totalmente a ideia, mas diz que não há nenhuma conversa no momento sobre isso. Confira mais:

Aves de Rapina foi um dos melhores filmes de 2020 – um brilhante e corajoso que explodiu o Teste de Bechdel de jeitos divertidos, inesperados e criativos (ainda não superei aquela oferta de prendedor de cabelo no meio de uma briga). Infelizmente, o filme para maiores da Harley Quinn não explodiu a bilheteria. Aves de Rapina não foi o fracasso de parte da mídia faz parecer, mas também não foi o próximo Deadpool, deixando esse futuro do DCEU incerto.

Enquanto Harley está de volta nas telas em O Esquadrão Suicida, ela não vai estar com seu grupo de amigas, mas com uma nova equipe diversa. Como parte da nossa entrevista de capa da Den of Geek, perguntamos para Margot Robbie se há alguma conversa sobre uma sequência de Aves de Rapina.

“Não sei se isso está nos planos tão cedo”, disse Robbie, quando questionada pela Den of Geek se a conversa sobre a sequência está ativa. “Não acho que seja um “não”. Mas, não, não há uma sequência em desenvolvimento que eu esteja ciente no momento.”

Essa não é a melhor notícia para os fãs de Aves de Rapina – ou apoiadores de filmes de franquia liderados por mulheres. Aves de Rapina é um dos poucos blockbusters recentes de Hollywood a ser produzido, dirigido, escrito e liderado por mulheres no elenco. Ao trazer uma mulher de cor como diretora, a cineasta chinesa-americana Cathy Yan, o resultado foi algo novo e diferente. Aves de Rapina é criativamente inteligente e um filme extremamente agradável, sem quaisquer qualificadores, mas sua novidade como um produto de Hollywood não se relaciona ao fato de que não foi feito pelos mesmos demográficos restritos que faz a maioria dos filmes de Hollywood.

“Fico feliz que vocês amaram o filme”, Robbie continua diplomaticamente. “Foi muito divertido fazê-lo.” O fato de que Robbie, que foi a atriz principal e produtora no filme, pareceu gostar de fazer Aves de Rapina é certamente um fator a se considerar. Robbie é atualmente uma das atrizes mais bem pagas de Hollywood e começou sua própria produtora, LuckyChap Entertainment, que produziu filmes como Eu, Tonya, Aves de Rapina e Bela Vingança. Ela também é um dos maiores recursos do DCEU, e tê-la apoiando um projeto pode haver uma chance de fazer acontecer – isso é basicamente o que aconteceu com Aves de Rapina, onde Robbie foi essencial para levar o filme para as telas.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie voltou a falar sobre sua ansiedade em trazer a Hera Venenosa para o DCEU com a revista Den of Geek. A atriz conta que tem muito interesse em mostrar o relacionamento da Hera com a Harley e que vive perturbando a Warner Bros. com o assunto. Confira:

Algumas coisas apenas combinam. Pasta de amendoim e geleia. Música e dança. Arlequina e Hera Venenosa. Essa última combinação clássica está estabelecida há muito tempo no cânone da DC Comics. Enquanto fãs casuais podem pensar que a Arlequina e o Coringa são a dupla suprema, qualquer consumir dedicado de cultura pop sabe que o verdadeiro amor da Harley é, na verdade, a Pamela Isley, conhecida como Hera Venenosa. As duas sempre foram alguma coisa – um relacionamento platônico, romântico ou entre os dois – no universo dos quadrinhos, mas também vimos uma narrativa seriamente romântica na série animada da Arlequina para o HBO Max.

Uma história centrada na Harley onde a deusa verde está notavelmente ausente da órbita dela é o DCEU. Enquanto nos aproximamos da estreia de O Esquadrão Suicida, o terceiro filme em que Margot Robbie interpreta a Arlequina, a ausência da Hera Venenosa continua. Como parte da entrevista de capa da última edição do Den of Geek, tivemos a chance de perguntar para Robbie quando veremos a BFF da Harley e/ou amor verdadeiro fazer uma aparição nessa esquina do Universo da DC.

“Acreditem, estou falando no ouvido deles sobre isso o tempo todo”, diz Robbie, quando questionada se há alguma conversa para trazer a Hera Venenosa para o DCEU. “Eles devem estar cansados de ouvir, mas fico tipo: “Hera Venenosa, Hera Venenosa. Vamos lá, vamos fazer isso.” Estou muito ansiosa para ver o relacionamento da Harley com a Hera Venenosa nas telas. Seria muito divertido. Então, vou continuar perturbando eles. Não se preocupem.”

Anteriormente, Robbie falou sobre querer ver o relacionamento da Harley com a Ivy nas telas com o PrideSource: “Se você lê os quadrinhos, você sabe que elas possuem um relacionamento íntimo. Em alguns quadrinhos é amizade, mas em outros, você consegue ver que elas estão sexualmente envolvidas como um casal. Eu estou tentando – eu adoraria ter a Hera Venenosa no universo, porque o relacionamento delas é uma das minhas coisas favoritas nos quadrinhos, então estou interessada em explorar isso nas telas.”

É legal saber que Robbie está no caso, especialmente já que ela é um dos maiores recursos do DCEU. Quando a atriz australiana não está colecionando indicações ao Oscar por seus filmes menores e mais dramáticos, ela interpreta a Dra. Harleen Frances Quinzel no DCEU. Ela é atualmente uma das atrizes mais bem pagas de Hollywood e começou sua própria produtora, a LuckyChap Entertainment, que já produziu filmes como Eu, Tonya, Aves de Rapina e Bela Vingança. Basicamente, Robbie não é só talentosa na frente das câmeras, mas é ativa nos negócios por trás das cenas de Hollywood, também. Ela é uma presença consistente no DCEU durante um período turbulento de substituições e recomeços. E tudo isso pode significar que um futuro com a Arlequina de Robbie e com a Hera Venenosa juntas nas telas é muito possível.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil

Margot Robbie conversou com a revista Den of Geek sobre a Arlequina no novo filme da DC, O Esquadrão Suicida. A atriz falou sobre as cenas de luta, suas novas roupas e mais, confira:

Você disse anteriormente em entrevistas que você precisa gostar do personagem para conseguir interpretá-lo. O que você gosta na Arlequina?
Tem sido muito divertido e interessante interpretá-la em três iterações diferentes, com um diretor diferente cada vez, porque eu realmente penso que as pessoas se atraem por características diferentes dela. E há tanto nela, muitas qualidades ótimas e engraçadas e outras muito ruins que também são fascinantes para as pessoas brincarem.

É interessante, dependendo de quem está escrevendo ou dirigindo. As pessoas querem explorar aspectos diferentes da personagem, o que é ótimo para mim porque eu quero explorar todos os aspectos dela. Os três filmes – Esquadrão Suicida, Aves de Rapina e agora O Esquadrão Suicida – são suas próprias aventuras, assim como nos quadrinhos. Dependendo de quem é o autor, é uma aventura diferente.

Houve uma progressão interessante de quando ela estava em um relacionamento com o Sr. C no primeiro filme, para a separação e tentando ficar bem com isso sozinha e se encontrar em Aves de Rapina, e agora em O Esquadrão Suicida. Ela está solteira na pista e explorando o amor em lugares diferentes. Esse lado foi particularmente divertido nesse filme.

Frequentemente penso na Harley como uma criança em um playground, onde se ela for a única criança brincando, ela não vai se divertir muito, mas se você colocar várias outras crianças, vai ser um caos. Então, ela é sempre mais divertida quando está em um grupo de pessoas. Nesse filme, há um grupo enorme e isso significa muitos personagens diferentes para ela interagir, o que para mim foi muito, muito legal.

Acho que o que eu amo sobre interpretá-la é exatamente isso: que você vê um lado diferente dela dependendo de com quem ela está se relacionando no momento e com quem ela está interagindo. Ela é psicótica, divertida, atrevida e moralmente ambígua, e eu posso fazer e falar todas as coisas que eu nunca falaria ou faria na vida real.

Para o primeiro filme, você se inspirou na Harley de Batman: A Série Animada e Karen Hill de Os Bons Companheiros. Você usou isso? Ou foram referência diferentes para esse filme?
James é um grande amante dos quadrinhos, por isso essa iteração da Harley foi mais próxima aos quadrinhos de Esquadrão Suicida. Eu estive desejando essas iterações da Harley que li e amei tanto, então estava ansiosa para alguém explorar isso.

Sinto que a conheço por tanto tempo agora que ela se tornou um pouco além de referências e está completamente formada na minha mente. Agora é somente sobre explorar, como eu disse, iterações diferentes dos quadrinhos e seus enredos um pouco mais de perto.

Como é a estética da Harley no filme?
Para ela, é um dia de trabalho. Esse é o modo missão, então ela usa sua roupa de missão. Então o filme tem uma reviravolta inesperada e ela coloca outra roupa não escolhida por ela. Mas, para nossa sorte e do público, também está na paleta da Harley, um vestido vermelho vibrante e botas pretas. Tudo foi organizado dentro da paleta de cores tradicional dos quadrinhos.

Mas sim, é uma estética muito diferente de Aves de Rapina porque ela está em um estado mental muito diferente. Nesse filme, ela está no modo missão. Enquanto em Aves de Rapina, ela estava uma bagunça total. Ela não sabia o que estava fazendo com sua vida e acho que estava tentando compensar o que ela estava sentindo com o que ela estava vestido, o que significava usar muitas coisas diferentes de uma só vez e eu amei.

As roupas eram confortáveis?
Eram bastante confortáveis. Para ser honesta, estar de sapatos baixos nesse filme foi… uma novidade. Fazer as cenas de luta da Harley usando botas de combate foi um sonho. É muito difícil fazer meses e meses de cenas de luta usando saltos altos. Isso definitivamente contribui com o fator do conforto.

Você adquiriu habilidades impressionantes, não somente nessa franquia, mas em outros papéis que você trabalhou. Você aprendeu alguma coisa nova nesse filme?
Tivemos muitas lutas bastante intensas. Nós filmamos uma sequência longa da Harley. Filmamos em alguns dias, o que foi insano e muito, muito legal. Estou tentando pensar se há alguma coisa que foi especificamente nova. Isso pode soar estranho, mas fiz mais chutes nessa coreografia do que antes. Acho que você vê a… Oh, Deus, é difícil. Eu não sei o que você vê no trailer, então não quero dar spoiler, mas tenho uma arma diferente que estou manejando bem mais no filme.

Vi uma bazuca, uma lança e uma arma.
Sim. Então, a lança foi definitivamente… é uma arma nova e divertida. Digo, interessante o bastante, quando se trata de coreografia e treinamento, você não está aprendendo nada muito diferente do taco de baseball ou da marreta. Você faz um processo de treinamento similar, troca a arma e então faz alguns pequenos ajustes. Mas, sim, é uma nova arma, e foi muito legal.

O filme usa muita pirotecnia. Como foi filmar essas cenas?
Como você pode ver pelo trailer, são cenas de ação enormes, com muita pirotecnia e foi absolutamente fenomenal testemunhar em primeira mão e passar correndo por tudo aquilo. As coisas literalmente explodiam a um metro de distância de mim. Eu tinha esse caminho específico para correr na praia e explosões reais estavam acontecendo em todos os cantos. Minha adrenalina estava no teto e foi divertido demais. Eu disse para o James: “Os caras sempre fazem isso nos filmes e as mulheres nunca fazem. Finalmente tive meu momento de guerra agora e foi tão legal.”

Falando nisso, todo ano durante a temporada do Oscar há uma discussão sobre uma possível categoria para dublês. Você tem uma opinião sobre isso?
Eu passo muito tempo treinando e fazendo cenas de ação nos filmes. Eu amo cenas de ação e conheço muitos dublês. Meu irmão é um dublê, então tenho uma enorme admiração e respeito pela arte em si, o que eles fazem e com o que contribuem para um filme. Sim, sinto que merece mais reconhecimento. Está um pouco além de mim dizer o que o Oscar deve ou não fazer, mas seria incrível.

Acho que em 1960, um dublê ganhou um Oscar. Vou pesquisar…

Você pode falar sobre o que James Gunn trouxe para esse mundo e para a história?
Não consigo pensar em outro diretor que possa executar algo de tão grande escala de forma tão perfeita. Esse filme é enorme… Eu não sei mais como explicar, mas o fato de que ele pode orquestrar algo tão grande, com um tom tão específico e com seu próprio DNA, é incrível.

O filme não se torna uma grande bagunça homogeneizada com um monte de explosões. Há tantas cenas de ação enormes e elas vêm com um soco emocional ao mesmo tempo. É um conjunto de habilidades inteiramente diferente para orquestrar algo desse tamanho e ainda ser emocionante, realista e surpreendente. Não consigo pensar em outra pessoa que faz tão bem quanto ele nessa escala.

Falando nisso, estava pesquisando enquanto tagarelava. O dublê se chamava Yakima Canutt. Que nome brilhante. Yakima Canutt era um dublê e recebeu o prêmio honorário da Academia em 1967. Para ser honesta, eu amo o nome dele.

É um ótimo nome.
O melhor de todos.

Fonte | Tradução & Adaptação: Equipe Margot Robbie Brasil